Por: Sistema Por Acaso | 29/08/2017

Despesas referentes a problemas de saúde de um funcionário sedentário podem chegar a cerca de 330 dólares por ano, segundo o jornal The Physician and Sportsmedicine, destinado a médicos que tratam do equilíbrio entre saúde e exercícios físicos.

Esse valor não inclui custos indiretos, como a compensação por ausência no trabalho, perda de produtividade ou doenças crônicas causadas pelo sedentarismo, como diabetes e alguns tipos de câncer.

A busca por maior qualidade de vida reflete diretamente na redução de custos médicos. Com esse intuito o SESI firmou parceria com a Healthways, uma empresa Sharecare, que trabalha com programas clínicos voltados para a manutenção do bem-estar e da saúde.

Seu programa de Gestão de Crônicos gera uma economia de 73,8% com custos com internações, além de 26,2% com custos ambulatoriais. O mesmo acontece com o Programa Envelhecimento Saudável. Assim como em Gestão de Crônicos, é realizado um acompanhamento regular da rotina para a adoção ou mudança de hábitos, priorizando um envelhecimento com saúde.

A redução com custos com internações atingiram R$ 742 per capita/mês e os custos ambulatoriais reduziram R$ 177 per capita/mês.

Considerando que a mudança de hábito reduz custos médicos em 74% e a prevenção é a melhor estratégia, o SESI oferece as indústrias de Jaraguá do Sul e região um Dignóstico Corporativo, que aponta o nível de Bem estar dos trabalhadores e sua prontidão para a mudança de comportamento. Esses resultados promovem, investimentos em ações e programas de saúde mais acertivos e resolutivos para a indústria.

A Universidade da Carolina do Leste, nos Estados Unidos, disponibiliza em seu site uma ferramenta que permite estimar essa perda através de um rápido teste, disponível apenas para empresas norte-americanas.

De acordo com a instituição, um aumento de apenas 5% nas atividades físicas pode reduzir significativamente os custos com cuidados de saúde e  perda de produtividade. Kristin Wehner, colunista de saúde da revista Entrepreneur, reuniu cinco dicas de como oferecer qualidade de vida aos seus funcionários. Confira:

1) Dê o exemplo: Na hora de apoiar os cuidados com a saúde dos funcionários, as organizações mais bem sucedidas contam com o exemplo de superiores e dos que estão há mais tempo trabalhando na empresa.

2)  Faça avaliações: Pesquisar sobre os interesses dos funcionários e fazer avaliações dos riscos de saúde pode ajudar a descobrir quais as necessidades da força de trabalho de sua empresa. Você pode começar com medições de peso e pressão sanguínea, por exemplo.

3)  Forneça treinamentos: Dê todo apoio para que os funcionários deixem a rotina sedentária. Investir no desenvolvimento de programas e treinamentos para eles ajuda bastante.

4)  Crie um ambiente de trabalho saudável: Não adianta fixar um papel na parede divulgando que sua empresa apóia a qualidade de vida. Faça crescer uma cultura organizacional que valorize ações como horário de trabalho flexível, licença maternidade e paternidade, e regras para fumantes.

5)  Estimule as atividades físicas: Você não precisa construir uma super academia dentro da empresa, mas pode criar um programa próprio de exercícios. Incentivar o uso das escadas no lugar de elevadores e criar um grupo de ciclistas são algumas sugestões que podem render bons frutos.

O SESI também oferece o trabalho de ginástica laboral nas indústrias. Clique aqui para conhecer mais sobre o programa.

O Sesi Jaraguá do Sul fica na Rua Walter Marquardt, 835, no bairro Barra do Rio Molha. O telefone para contato é 3372-9418.