Por: João Marcos | 5 anos atrás

A Petrobras anunciou na noite de ontem um reajuste de 6,6% para a gasolina e de 5,4% para o diesel nos preços de venda nas refinarias. Os novos preços entram em vigor a partir de hoje.

“Esse reajuste foi definido levando em consideração a política de preços da companhia, que busca alinhar o preço dos derivados aos valores praticados no mercado internacional em uma perspectiva de médio e longo prazo”, informou a Petrobras, em nota.

Os preços da gasolina e do diesel, sobre os quais incide o reajuste anunciado, não incluem os tributos federais Cide e PIS/Cofins e o tributo estadual ICMS – então se eu entendi bem, quando incluírem esses tributos o preço pode aumentar ainda mais? É isso?

O reajuste pode ser repassado para os consumidores totais, mas o valor ainda não foi calculado. A Petrobras segue a política do governo de não repassar totalmente o aumento nos preços para não comprometer a meta da inflação – respondendo minha própria pergunta no parágrafo anterior: Sim, é isso.

Em dezembro, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que a Petrobras iria aumentar o preço da gasolina e repassar para o consumidor. O último reajuste ocorreu em 2012, mas não foi sentido pelos consumidores porque o governo isentou um imposto cobrado sobre a gasolina, a Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico (Cide).

Vale lembrar que esse reajuste é para a venda nas refinarias, ainda não se sabe em quanto poderá pesar no bolso do consumidor final nos postos de gasolina, maaaaaaas podem esperar que vai aumentar com certeza e a talagada promete ser forte.

Fonte