Por: Tita Pretti | 4 anos atrás

Uma petição online do site Change.org pede ao Conselho Federal de Medicina que seja feita uma recomendação a todos os médicos do país: que eles peçam exames (como o de trombose), antes de receitarem a pílula anticoncepcional.

DANIA autora do movimento, Danielle Fortuna, detalha o motivo de ter criado a petição:

“Tenho 29 anos e usei anticoncepcionais por cerca de um ano. Na época, aos 18, tive uma trombose na perna ligada ao uso do medicamento. Nenhum médico me avisou sobre os riscos de tomar a pílula. Somente dez anos depois do problema, me pediram os exames que mostraram que eu não deveria ter tomado o anticoncepcional. Se o médico tivesse me alertado ou pedido estes exames antes, a trombose teria sido evitada.

Ainda hoje tenho sequelas. Eu não consigo andar rápido e tenho três veias da perna que ainda estão entupidas. Após tudo isso, ouvir médicos falarem que o uso da pílula não causa problemas de saúde e é 100% seguro é perturbador.

Pergunto: quantas mulheres precisam morrer ou ter problemas de saúde para que algo seja feito a respeito? O Conselho Federal de Medicina precisa tomar uma medida urgente.

Em mais de 90% dos casos, as mulheres não sabem da predisposição à trombose. Precisamos desta informação antes de decidir tomar a pílula. Assine e divulgue esta petição para prevenir riscos à saúde das mulheres que tomam anticoncepcional.”

3-dicas-para-a-primeira-consulta-ginecologica

Gurias, é exatamente por isso que vocês devem se manter informadas sobre o que tomam, porque tomam e conhecer todos os riscos que estão envolvidos. Eu mesma tenho três amigas próximas que tiveram trombose em decorrência do uso do anticoncepcional.

Confesso que sempre estranhei a facilidade do acesso a esses medicamentos. Em minhas primeiras visitas ao ginecologista, sempre recebi aquelas amostras grátis de anticoncepcional A, B ou C. Por mais que haja um diagnóstico de idade, pele (tendência à acne ou não), peso e outros fatores, sempre fiquei com um pé atrás com as prescrições de um determinado anticoncepcional. Pra mim, é óbvio que a indústria se beneficia de parcerias com médicos e vice-versa.

Mas essa é minha opinião. Agora, o que importa mesmo é a sua. Mas uma coisa eu peço: que ela seja embasada com muita informação e experimentação. Porque só você (junto ao seu ginecologista) pode dizer se a pílula faz bem ou não para o seu corpo (vamos falar de espinhas, inchaço, mudança de humor, apetite sexual, enjôo, sonolência?).

Porque só você pode dizer a seu médico se tem alguma predisposição a determinadas doenças que podem se agravar com o uso do medicamento -e cabe ao médico perguntar e requisitar exames.

Meu conselho? Leia esses links aqui abaixo e, caso você tome pílulas anticoncepcionais, tenha uma boa conversa esclarecedora com seu/sua médico(a) de confiança. Vale questionar sobre todos os diferentes métodos contraceptivos e qual o mais indicado pra você. Quanto mais informação, mais saúde…

– Pacientes sabem dos riscos de anticoncepcionais e encaram restrições médicas com naturalidade
– Uso prolongado de pílula anticoncepcional pode elevar risco de glaucoma
– Pílulas Anticoncepcionas por Dr. Dráuzio Varella
– Efeitos colaterais dos anticoncepcionais
– As vítimas da pílula anticoncepcional