Por: Anderson Kreutzfeldt | 09/12/2013

ostentaçaonoshopping

Alguns jovens estão organizando uma verdadeira invasão aos shoppings da capital e da região metropolitana de São Paulo nas próximas semanas. Os jovens são altamente motivados por sua trilha sonora, o funk ostentação, que supervaloriza marcas de carro e de roupas.

Os chamados “rolezinhos” devem reunir até 10 mil pessoas em um baile funk improvisado nos centros comerciais paulistanos, como aconteceu em Itaquera no último sábado, gerando pânico, arrastão e dois detidos pela PM de São Paulo. Nas páginas em redes sociais, os membros divulgam os encontros (haverá um no Shopping Aricanduva no próximo sábado) enquanto adolescentes confirma a presença e publicam enquetes perguntando com que tipo de tênis e roupas os outros vão aos rolezinhos. Podemos sem medo de errar definir os rolezinhos como festas que tem um grande potencial para terminar mal.

De acordo com os organizadores, esses encontros nos shoppings são uma espécie de manifestação à proibição dos bailes funk na rua pela Polícia Militar de São Paulo. Eles ainda atestam que esses bailes de rua são uma das poucas opções de entretenimento e diversão aos jovens que residem na periferia.

“No shopping é mais seguro do que na rua, onde a polícia tem evitado o fluxo”, afirma Jefferson Luiz (MC Jota L) de 20 anos, que planeja um rolê no dia 21 no Internacional de Guarulhos (na capital paulista)

Mais de 28 mil pessoas tinham sido convidadas e 930 haviam confirmado presença até o dia de ontem no evento no Facebook.