Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás

Como dito, não repara o erro, mas Ademir deu um belo de um exemplo aos demais políticos da região:

Secretário pede para sair
O secretário de Desenvolvimento Econômico de Guaramirim, Ademir Tank, pediu exoneração do cargo. O anúncio foi feito ontem de manhã. O prefeito Nilson Bylaardt teria recebido o pedido de Tank na noite de terça-feira. Segundo o procurador-geral do município, Fagner Azambuja, o ex-secretário decidiu pelo afastamento do cargo por ter o nome envolvido no caso do desaparecimento de um ônibus da Prefeitura, doado pela Receita Federal em 2006.

Tank admitiu em depoimento à Polícia Civil que foi o responsável por autorizar a saída do ônibus, no dia 18 de março, do Parque Municipal de Eventos. À polícia, o ex-secretário disse que estava em processo de elaboração de um leilão e que havia catalogado o ônibus para ser leiloado. A investigação está centrada no desaparecimento do ônibus que foi encontrado em um ferro-velho em Barra Velha.

A Prefeitura fez a doação do motor do ônibus aos bombeiros voluntários de Guaramirim. A intenção era a substituição do motor de um dos carros de incêndio do grupo que estava danificado. Quando os bombeiros foram ao parque retirar a doação, constataram o sumiço da carcaça e do motor. A Prefeitura foi informada e registrou um boletim de ocorrência, tratando o caso como furto.

O motivo do pedido de exoneração feito por Tank, segundo Azambuja, foi o de preservar a imagem, a do prefeito e a integridade da Prefeitura, enquanto transcorre o inquérito de investigação sobre o caso.

Azambuja conta que o afastamento do cargo público não isenta Tank da responsabilidade sobre o caso. “As investigações seguem normalmente e se ficar comprovado algum tipo de dolo, ele responderá por isso, inclusive na Justiça”, afirma o procurador.

O delegado Daniel Dias ouviu duas pessoas envolvidas. “Os dois são funcionários comissionados. Um deles mandou retirar a carcaça do pátio e levar a um ferro-velho em Barra Velha e o outro levou o veículo para lá. Segundo Dias, será apurado se houve má-fé dos funcionários ou se tudo não passa de um erro de comunicação entre os dois.

O motor já retornou para Guaramirim e será encaminhado aos bombeiros, que estão providenciando o reparo.


Saiba agora a versão do secretário para a história