Por: | 5 anos atrás

Realizada no mundo todo, a Pedalada Pelada vai ganhar mais uma edição em Florianópolis neste sábado. No primeiro ano, cerca de 120 pessoas foram às ruas de bike protestar contra a insegurança vivida todos os dias pelos ciclistas. O modo encontrado para chamar a atenção do público foi tirar a roupa e pedalar nu por locais públicos. Para este ano, a previsão é de pelo menos 150 participantes.

-A intenção é chamar a atenção para a fragilidade do ciclista no trânsito. Para representar que não há armadura em torno da gente-, diz um dos organizadores, Eduardo Green, 36 anos, empresário e ciclista há três décadas.

Estes manifestos ganharam o mundo nos últimos anos chamados de World Naked Bike Ride. No Brasil chegou há cinco anos em São Paulo e há um ano em Florianópolis. Também haverá uma edição de estreia em Porto Alegre.

Eduardo defende que a nudez não é para ser vista como algo grotesco. Mas, sim como um questionamento das regras. Destacou ainda que se trata de uma manifestação festiva.

—A gente não quer provocar ninguém com a nossa nudez. A gente não quer entrar em conflito—, destaca.

Tanto que ano passado, no trajeto feito desde frente do shopping Iguatemi, na passagem pela avenida Madre Benvenutta e pela Lauro Linhares, seguindo até o Centro, não houve problemas. O ciclista convida todos para participarem, inclusive crianças acompanhadas do pai. Para ir, precisa apenas de um meio de transporte que não use combustível e que tenha rodas. Vale bicicleta, patins, patinete e skate.

O objetivo é fazer o trajeto lentamente para que todos possam seguir no mesmo ritmo. Ninguém irá ficar para trás. Quem quiser, pode levar cartazes ou outro tipo de manifestação. Duas horas antes da saída, prevista para às 20h, haverá gente fazendo pintura nos corpos como forma de protesto.

E fica a orientação de Eduardo:

—A cidade está vivendo uma crise de mobilidade. A cidade está crescendo muito. O problema de trânsito está aumentando. Nós apostamos na bicicleta como uma das formas desta solução. É um tema que está sendo relegado a ultimo plano. Precisa de investimento público, em infraestrutura, e da população, com o respeito aos ciclistas. Isso vai ter reflexo positivo—, admite.

A princípio, a Polícia Militar não irá fazer escolta dos participante e nem fechar as ruas. A Guarda Municipal também não foi acionada.

O trajeto da manifestação, que no ano passado levou as pessoas de frente ao shopping Iguatemi até o Centro, ainda não foi definido. A escolha será feita junto com os participantes minutos antes do início.

Serviço
O quê? Pedalada Pelada
Quando? 9 de março
Horário: 18h para fazer pintura e 20h para partida
Onde? pista de skate em frente ao shopping Iguatemi, no bairro Santa Mônica

Via: DC