Por: Ricardo Daniel Treis | 3 anos atrás

O espetáculo teatral baseado na tragédia ocorrida em Jaraguá do Sul em 1953 ganhou distinção: em outubro estará em palcos paraibanos e paulistas, sendo apresentado na Mostra Internacional da Paraíba e no Festival Nacional de Campo Limpo. Motivo extra para a comemoração dos autores e atores, a peça é a única selecionada que não tem origem em capitais brasileiras.

Quem ainda não teve oportunidade de assistí-la tem uma canja já nesta semana, amanhã e quarta-feira a Cia Colher de Pau fará duas sessões na Scar, às 20h. A entrada é praticamente gratuita, exige-se apenas 1kg de alimento em troca do acesso.

11053273_1661823830715247_7013777073403583196_o

O espetáculo lembra um dos mais importantes e trágicos momentos da história de Jaraguá do Sul. Em 6 de novembro de 1953, no local hoje conhecido como Tifa da Pólvora, três explosões consecutivas destruíram a fábrica Pernambuco Powder Factory. Essa explosão foi ouvida a 50 km de distância e causou danos em edifícios num raio de mil metros. Mais do que vidros estilhaçados e paredes rachadas, porém, o evento deixou dez mortos e doze feridos. A tragédia foi eternizada na canção “Deiz Cruiz Empareiadas” de Athayde Machado, o Dadi, e deixou uma marca profunda na história do município.

A explosão dessa fábrica e o luto da população inspiraram “Casa de Pólvora”, uma história fictícia onde três irmãos procuram por sua mãe enquanto sua casa é atingida por explosões. Revirando os escombros nessa frenética busca, os irmãos se deparam com memórias do que eram suas vidas. Ao encontrar essas lembranças, dor e riso se alternam em um espetáculo onde memórias felizes dividem o palco com feridas nunca cicatrizadas.

Parabéns pessoal!