Por: João Marcos | 5 anos atrás

Taí uma coisa que pra mim nunca ficou claro, não sou nenhum Beatlemaníaco, que leu diversas biografias, histórias e tudo mais. Mas se tem uma coisa que sempre tive conhecimento – ou achei que tinha – era de que a Yoko tinha sido o divisor de águas da banda.

Em entrevista ao apresentador norte-americano David Frost, Paul McCartney afirmou, entre outras particularidades, que o fim dos Beatles não tem nada a ver com Yoko Ono. De acordo com informações do The Guardian, para ele, a ex-mulher de John Lennon definitivamente não foi a responsável pelo detrimento da banda.

“Ela certamente não acabou com o grupo, nós já estávamos quebrando”, disse. O músico afirmou ainda que a artista foi fundamental para o amadurecimento de Lennon e que, sem ela, ele provavelmente não teria feito músicas como “Imagine”. “Eu não acho que ele teria feito isso sem Yoko, por isso não podemos culpá-la por nada”.

Quando perguntado então sobre o verdadeiro motivo da separação do quarteto de Liverpool, Paul afirmou que parte da culpa foi do empresário Allen Klein, que substituiu Brian Epstein após sua morte, em 1967. “Eu estava me desentendendo com meus três fiéis companheiros, mas na verdade a minha vontade era brigar com Klein“, afirmou.

A entrevista original, com sessenta minutos de duração, vai ao ar em Novembro, pelo canal da Al Jazeera. Vamos esperar, essa entrevista promete ser pelo menos interessante.

TMDQA