Por: André Marques | 4 anos atrás

A cantora Ana Paula da Silva, a Joinville Jazz Big Band e o Grupo de Percussão de Itajaí se apresentam nos dias 06, 07 e 08 de novembro na programação do Panorama Sesc de Música, em Jaraguá do Sul. O projeto tem o objetivo de promover a música produzida no Estado. Os shows são gratuitos e acontecem no Teatro do Sesc.

Grupo de percussão de itajaí - foto oficial divulgação

 

Considerada por críticos brasileiros e europeus umas das melhores intérpretes da atualidade, Ana Paula da Silva, apresenta o show “Raiz Forte”, na quinta-feira, 06/11, às 20 horas. O show é dedicado as suas composições autorais e conta também com releituras de compositores como Dori Caymmi, Violeta Parra, Sérgio Santos entre outros. O show tem uma sonoridade mais jazzista e intima diferente do seu último show que foi dedicado ao seu quinto álbum de samba. Ana Paula lançou até 2014 cinco álbuns, realiza constantemente turnês dentro e fora do Brasil e já foi contemplada com vários prêmios como Caixa Cultural, Prêmio Pixinguinha, Prêmio Destaque Cultural do Ano como a artista catarinense que mais fez shows fora do Brasil.

Joinville Jazz Big Band 2 - Divulgação

 

Na sexta-feira, 07/11, às 19 horas a apresentação será da Joinville Jazz Big Band, primeira Big Band Jazzística do município de Joinville. A banda surgiu em setembro de 2011 e tem em sua formação 17 instrumentistas, divididos em quatro naipes (saxofones, trombones, trompetes e seção rítmica). Liderada pelo músico saxofonista, Gledison Zabote, seu repertório é composto por standards de jazz e música instrumental brasileira como Computer – Bob Mintzer, Naima – John Coltrane, Influencia do Jazz – Carlos Lyra, Lazy day – Bob Mintzer, Folhas Secas – Nelson Cavaquinho, Trilhos Urbanos – Caetano Veloso.

Ana Paula da Silva 2 - Divulgação

 

Referência em toda a região do Vale do Itajaí e em outras cidades do Estado, o Grupo de Percussão de Itajaí apresenta no sábado, 08/11, às 20 horas, o espetáculo “Ritmos do Mundo”. A composições para percussão, serão executadas por um time de oito integrantes que utilizam uma instrumentação variada, que inclui da percussão vocal a surdos e alfaias, todos orquestrados de modo a reproduzir ritmos tão distintos quanto o samba reggae, o baião, o samba e o festejo peruano, entre outros. Além da sonoridade ímpar, o espetáculo surpreende o público com sua produção cênica, com diferentes figurinos, iluminação e efeitos especiais. O grupo foi formado em 2007 no Conservatório de Música Popular de Itajaí por seus alunos e professores. Hoje, sediado na Univali, conta com alunos do Conservatório, do curso de Música da universidade, músicos da comunidade e até de cidades vizinhas, é regido pelo Mestre e doutorando em Música Rodrigo Paiva.