Por: João Marcos | 18/12/2013

Mais uma lista da Super, nessa, listam os 10 melhores aplicativos para smartphones de 2013. Resumindo, esse foi o ano dos “relacionamentos”, já que dos 10, dois são para ajudar na pegação, um é para controlar o namorado(a) e um outro é para avaliar homens. Confira:

app-99taxi1 – Os vários aplicativos de táxi

Um amigo indica o Easy Taxi, outro o 99Taxis, o taxista afirma que o melhor é o Taxibeat… Foram tantos os aplicativos de táxi popularizados em 2013 – e cada um com suas qualidades e defeitos – que, quando olhamos para nossos smartphones, percebemos que eles praticamente dominam a telinha. Com o uso de ferramentas de geolocalização, os apps não deixam as pessoas esperando horas por um táxi.

 

app-tinder2. Tinder – O cardápio de pessoas

Se você estava offline nos últimos meses, a gente explica: Tinder é um menu de pessoas. Você se cadastra e tem acesso a uma lista de pessoas. Em seguida, pode ler perfil por perfil e dar “like” nos que gostar mais. Caso o fulano ou fulana também dê um like de volta, é possível iniciar uma conversa. A intenção é fazer com que as pessoas se conheçam melhor e resolvam juntas o que fazer depois, na vida real. A melhor parte, dizem os usuários, é que você também pode descartar pessoas com quem não quer conversar, o que diminui as chances de conhecer gente que não faça seu tipo.

 

candy-crush3. Uma das tantas versões de Tetris: Candy Crush Saga

Juntar doces iguais e fazê-los desaparecer: o estilo Tetris voltou nesse aplicativo que parece ser jogo de criança, mas que encantou um público variado. Basta tirar os olhos do próprio smartphone aberto no Candy Crush e passar a vista ao redor no ônibus, sala de espera do consultório ou no intervalo do almoço da empresa. Cada fase fica mais difícil e os amigos competem para ver quem está em um desafio mais avançado.

 

app-down4. Bang With Friends ou Down

Tipo o Tinder, mas mais direto: a ideia era usar sua lista de amigos do Facebook como cardápio e indicar com qual (ou quais) deles você faria sexo. Tudo anonimamente. Se alguém te quisesse de volta, vocês dois recebiam por e-mail uma notificação. Daí por diante, era com você (e com seu alvo sexual). O app fazia tudo no sigilo, mas a polêmica foi bastante pública. Em outubro, o BWF mudou o nome para “Down” e criou uma proposta mais parecida com o Tinder oferecendo a opção para encontro romântico. O aplicativo também inspirou o surgimento do Hate With Friends, que segue a mesma lógica: escolha, entre os amigos do Facebook, quais você odeia. Se alguém te odiar de volta, vocês podem cancelar a amizade e deixar de conviver com esse fardo na timeline. Prático, né?

 

app-vine5. Vine e os vídeos de seis segundos

O aplicativo do Twitter para criar vídeos curtos de até seis segundos se tornou popular nas redes sociais e mídia por “viralizar” vídeos divertidos. Ninguém escapou da febre do Vine: famosos também já apareceram fazendo vídeos com a ferramenta, como Maisie Williams, a Arya Stark de Game of Thrones.

 

 

app-whats6. Whatsapp

Mesmo começando a cobrar anualmente de usuários do iPhone, o Whatsapp continua sendo o serviço de mensagens em smartphones mais popular. Todo mundo que compra um celular logo instala o aplicativo. Aparentemente as pessoas não ligam para o fato de que, em um ano serão, cobradas pelo serviço. Ou acham 1 dólar um preço honesto.

 

 

app-rast7. Rastreador de namorado ou o app dos desconfiados

O aplicativo é para aqueles que querem tirar aquela “pulga atrás da orelha”. Basta instalar no telefone do namorado ou da namorada e o desconfiado ou desconfiada acessa mensagens, ligações e até mesmo a localização do parceiro ou parceira. O app levantou questionamentos sobre invasão de privacidade e até que ponto o ciúme é saudável – até porque, sentir ciúmes a ponto de instalar um app não é nem um pouco saudável, não é mesmo?

 

 

app-netc8. Netflix

O serviço de streaming de filmes e séries se destacou esse ano não apenas pela popularidade entre estes tipos de aplicativos, mas também pelos seriados que começou a produzir desde o ano passado. Recentemente o Netflix fechou parceria com a Marvel para criar séries originais com alguns personagens dos quadrinhos. Um acordo parecido foi feito com a DreamWorks no meio do ano.

 

 

app-snap9. Snapchat

Assim como o Whatsapp, o Snapchat é um aplicativo de mensagens instantâneas, mas com a diferença de que as fotos e vídeos enviados por um usuário são deletados depois de um curto período de tempo. Quem envia escolhe quanto tempo aqueles que recebem poderão ver a foto ou o vídeo. Seguro para quem quer mandar mensagens comprometedoras. Lembrete: a imagem pode até se auto-destruir em alguns segundos, mas nada impede que o destinatário tire um screenshot da tela. Então, cuidado com o sexting.

 

 

app-lulu10. O fenômeno Lulu

O aplicativo ganhou popularidade entre as meninas no fim do ano. Ele permite dar notas e criar hashtags para os garotos. A ideia é saber se o fulano é romântico, bom de cama, cheiroso, educado… Os homens não conseguem visualizar as próprias notas no app, por isso algumas amigas começaram a avisar aos colegas que eles tinham nota no Lulu – inclusive, fizemos um post totalmente dedicado para ele, olha aqui.

 

E para você? Qual foi o app que mais bombou no seu smartphone esse ano?