Por: Ricardo Daniel Treis | 6 anos atrás

Matéria de Daiane Zanghelini, no AN de hoje:

A Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali) dá nesta sexta-feira mais um passo importante para o projeto de duplicação do trecho urbano da BR-280 entre Guaramirim e Jaraguá do Sul. Às 10 horas, será assinada na sede da entidade a ordem de serviço do projeto executivo do viaduto de Guaramirim, no entroncamento da BR-280 com a SC-413, conhecida como Rodovia do Arroz.

O viaduto é uma das obras mais importantes previstas dentro do conjunto melhorias que deve desafogar o tráfego no trecho. O detalhamento técnico será feito pela Azimute Consultoria e Projetos de Engenharia, de Joinville, e o projeto está orçado em R$ 149.524,00. O custo será bancado pela própria Amvali e o prazo de execução é de 120 dias a partir da assinatura da ordem de serviço.

O secretário executivo da Amvali, Alessandro Vargas, explica que a Amvali decidiu arcar com os custos do projeto executivo para agilizar a construção. Segundo ele, não é prever quando a obra deve começar porque depende da aprovação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). A obra será orçada somente após a conclusão do projeto executivo, mas Vargas calcula que o custo do viaduto deve chegar a R$ 10 milhões.

—Vai desafogar um dos grandes gargalos da região, por causa do tráfego intenso de caminhões. É um trecho extremamente delicado do corredor de exportação que passa por Jaraguá, Guaramirim e São Francisco do Sul — destaca Vargas.

Há cerca de dois meses, a Azimute começou a elaborar o projeto básico da duplicação do trecho urbano da BR-280. A previsão é de que ele seja concluído em 120 dias, com investimento de R$ 490 mil. Os recursos foram repassados à Amvali pelo governo do Estado. A melhoria inclui um trecho de 8,6 quilômetros, começando no entroncamento da SC-413 com a BR-280 e indo até a Ponte do Portal.

Entre as obras previstas estão viadutos, elevados, construção de nova ponte sobre o rio Itapocuzinho, trevos e acesso às marginais. Não há previsão de quando será licitado o projeto executivo, que detalha a parte estrutural da obra. Segundo Vargas, a licitação só pode ser aberta pelo DNIT. O projeto não está relacionado com a duplicação dos 72,5 quilômetros entre Jaraguá do Sul e São Francisco do Sul. O DNIT previa relançar o edital em junho.