Por: Ricardo Daniel Treis | 5 anos atrás

Fechada parcialmente a enquete, eis os dados que temos até então, que já deixam bem clara a posição dos leitores:

Apesar do número de leitores que considera desnecessário o horário (25%) quase superar o dos que consideram necessário o extra aos sábados e ainda bater o de duas e uma hora após o normal, na conta perde, pois estes devem sem somados.

A relevância ao horário especial chegou aos 69%. A pesquisa não precisou se quem aprova o horário aos sábados também aprova o de duas horas após o normal nos dias de semana, porém o que ficou claro e deve ser considerado é a insignificância do valor do expediente aos domingos junto ao público (menor que 6%).

Pesquisas de mercado consideram que 10% seja o número ideal para uma amostragem. Nossa enquete levantou 519 votos, o que para dados seria referente a 51.900 pessoas entrevistadas – um universo mais que relevante. Existem ai diversas particularidades que diferem nossa pesquisa duma feita nas ruas, porém isso não desabona em nada os valores levantados, que certamente fazem valer que seja feito um estudo profissional pelos responsáveis do varejo.

A questão era: “Você compra no domingo porque a loja está aberta ou a loja está aberta porque você compra no domingo?” O varejo precisa de humanização, tanto para valorizar quem já está lá quanto atrair novos profissionais. Antes de entrarmos num círculo vicioso de horas extras e turnos desnecessários, que tal agir com mais planejamento? As coisas podem ser mais simples do que a gente imagina, só que ninguém se deu ao trabalho de pesquisar.