Por: André Marques | 20/10/2014

Não estamos falando de venenos ou mandingas malucas: a mais nova tentativa de erradicar a dengue é baseada em liberar milhares de mosquitos Aedes aegypti por aí. Não, você entendeu certinho mesmo, não se preocupe, te ajudo a entender. Ao invés de mosquitos comuns (com a doença), os mosquitos em questão serão propositalmente contaminados com uma bactéria de nome Wolbachia, considerada uma bactéria ‘do bem’.

A Wolbachia está presente em mais de 60% dos insetos, não causa mal algum ao ser humano e pode previnir o vírus da dengue de ser transmitido por cada vez mais mosquitos, a medida em que esses se reproduzem.

Nos próximos meses, 10 mil mosquitos irão às ruas (já com a nova bactéria)  do bairro Tubiacanga no Rio de Janeiro. O processo será monitorado ao longo de 2 anos e também existem previsões de novos testes para os bairros da Urca, Vila Valqueire e em Jurujuba, Niterói.

Considerando o gasto que existe no tratamento de pessoas infectadas, o investimento é minúsculo, porém de importância ímpar. Veja o vídeo:

via Hypeness