Por: Gabriela Bubniak | 1 ano atrás

Você não leu errado, era para o mundo ter acabado na última quinta-feira (16)! Isso porque o asteroide 2016WF9, descoberto em 2016 pela NASA, estaria prestes a colidir contra a Terra e acabar com a vida no planeta. 😯

Quem fez essa afirmação foi o renomado astrônomo russo Dyomin Damir Zakharovich. Segundo ele, o impacto iria gerar grandes tsunamis, capazes de destruir tudo por aqui. Ele contestou a versão apresentada pela NASA, que garantiu que o asteroide não reserva nenhum dano expressivo no planeta.

O objeto celeste recebeu o nome de 2016WF9 logo após a sua descoberta. O fato é que os cientistas ainda não divulgaram se esse objeto é um cometa sem nuvem de poeira ou realmente um asteroide. Estima-se que ele tenha um quilômetro de diâmetro e que ele veio do sistema de Nibiru, um hipotético planeta do Sistema Solar. Entretanto, sua existência não foi provada ainda.

Em meio a toda essa polêmica e o burburinho que isso causou nas redes sociais, a NASA se pronunciou dizendo que de forma alguma esse objeto representaria algum tipo de perigo para a Terra, e que ele passaria a uma distância de 51 milhões de quilômetros daqui.

Mesmo em meio a essas declarações, o astrônomo russo Dyomin Damir Zakharovich insistiu que sua tese era verdadeira. O analista do jornal inglês Daily Mail afirmou com convicção que os funcionários da NASA poderiam estar dissimulando toda a verdade.

“A trajetória do 2016WF9 é bem conhecida e o objeto não será uma ameaça à Terra pelos próximos milhares de anos”, informa a NASA em nota à imprensa.

A notícia também foi desmentida pela SAB (Sociedade Astronômica Brasileira) nesta terça-feira (14). Em nota, a Sociedade Astronômica Brasileira afirmou que “não há fundamento científico para a notícia sobre o fim do mundo em 16 de fevereiro devido à colisão do asteroide 2016WF9 com a Terra”.

Fontes: Blasting News e TNH1