Por: Ricardo Daniel Treis | 21/09/2015

A Prefeitura de Jaraguá do Sul, por meio das diretorias de Comunicação e de Trânsito, e as polícias Militar e Civil iniciaram na última sexta-feira (18) a campanha de conscientização “O trânsito revela a sua cara – seja gentil: respeite as pessoas e a sinalização”, que será desenvolvida em razão da passagem da Semana Nacional do Trânsito – de 18 a 25 deste mês. De acordo com o diretor de Comunicação, Elias Arthur Raasch, os focos para este ano são as advertências sobre o perigo do uso do celular ao volante e da necessidade de se utilizar o cinto de segurança no banco traseiro, além de orientações sobre direção defensiva aos motociclistas.

Flyers da campanha simulam troca de mensagens em smartphone. Imagem:  PMJS

Flyers da campanha simulam troca de mensagens em smartphone. Imagem: PMJS

As mensagens são levadas à população por meio de peças publicitárias como outdoors, anúncios (nas mídias impressa, rádio, internet), cartazes, fôlderes e panfletos. A campanha também envolverá a realização de blitze e diversos locais da cidade para distribuição de material orientativo aos motoristas.

Segundo dados do 14º Batalhão da Polícia Militar de Jaraguá do Sul, a maioria dos acidentes de trânsito no município ocorre por falta de atenção, sendo esta a causa de mais de 2,7 mil ocorrências por ano, em média, no período de 2012 a 2014. Essa tendência pode se confirmar também em 2015, pois até o fim do primeiro semestre já foram registrados mais de 1,3 mil acidentes por esse motivo.

Neste sentido, os organizadores da campanha apontam que um dos fatores mais comuns de desatenção tem sido o uso do celular ao volante, um mau hábito incorporado pela maioria dos motoristas e que, segundo estudos, aumenta em 400% o risco de acidentes. Mas, mesmo sendo proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e considerada infração média, com o motorista sujeito à multa de R$ 85,13 e a receber quatro pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação), esta é uma das principais causas de acidentes graves, pois normalmente está associada a outras infrações como exesso de velocidade, por exemplo.

Elias Raasch explica que já outro foco da campanha tem como objetivo criar um bom hábito: o uso do cinto de segurança no banco traseiro. E este é outro grande desafio, pois, conforme pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em todo o país, metade das pessoas que andam nos assentos traseiros não tem esse hábito, apesar de o uso do cinto ser obrigatório por lei. Essa infração é considerada grave no CTB, com o condutor sujeito à multa de R$ 127,69 e cinco pontos registrados na carteira. Raasch cita um levantamento feito com base em acidentes nas rodovias pedagiadas do Estado de São Paulo, no qual constatou-se que 69% das pessoas que estavam no banco de trás e morreram não usavam o cinto de segurança.

Também a inclusão dos motociclistas no foco da campanha está embasada no fato de que o segundo maior número de acidentes de trânsito em Jaraguá tem o envolvimento de motos, motonetas e ciclomotores, ficando atrás apenas das ocorrências com automóveis. Foram 884 em 2012, 873 em 2013, 793 em 2014 e 373 até o fim do primeiro semestre deste ano, conforme estatística do 14º BPM, apresentando uma tendência de redução. Entretanto, segundo dados do Ministéiro da Saúde, o Brasil registra em média 12 mil mortes por acidente de moto a cada ano e aponta para um aumento de 115% no número de internações em hospitais públicos de vítimas de ocorrências com motocicletas.

REDUÇÃO NO NÚMERO DE MORTES
Para os coordenadores da campanha, ações como esta de conscientização, aliadas a outras iniciativas como a manutenção e melhoria das sinalizações das vias, além de atividades de educação para o trânsito, são necessárias para buscar a constante redução de acidentes e mortes. Em Jaraguá do Sul, o número de óbitos por acidentes de transporte vem diminuindo aos poucos nos últimos anos, conforme dados oficiais do Sistema de Informação de Mortalidade, do Ministério da Saúde: em 2012 foram 64 vítimas fatais, baixando para 57 em 2013, reduzindo para 50 em 2014; e até o fim do primeiro semestre deste ano houve 20 mortes. Estes registros consideram os óbitos ocorridos no local do acidente, nos hospitais e em casa.

tabela_aureaMatéria: Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul