Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás

Texto da excelentíssima unidade Alexandre “Porkys” Schmidt, com uma boa perspectiva quanto ao assunto.


A NOVA LEI SECA
Depois de anos bebendo e dirigindo venho aqui falar de um assunto polêmico que fode a minha ideia e de mais uma grande massa hipócrita: a tal da Lei Seca.

Vou expor os fatos da forma que devem ser: se liguem, o bêbado não tá nem aí se vai ficar 3 anos preso depois de matar alguém. O bêbado motorista não quer saber se a multa vai ser R$ 900 ou R$ 5.000. Pra ele tanto faz, tanto fez. Os pistões de seu motor 1.0 (ou 1.8 16v) vão explodir igual ao álcool que corre por dentro do coração dele.

Nessa hora o querido leitor estará me crucificando (já sinto as chagas), mas vejam da seguinte forma: de nada vai adiantar aumentar a pena para o motorista bêbado, se não temos fiscalização.

E vou além disso, proponho uma nova solução. Aliás, proponho três:
1 – Implantação de transporte público com tarifa única de hora em hora para os bairros durante toda a madrugada nos finais de semana. (Ah vá, a Canarinho vai fazer isso mesmo?)
2 – Taxi com 70% de desconto com quem passar com o grau de alcoolemia em mais de 0.1 mg/l no bafômetro, neste caso isentando o taxista de pagar IPVA e outros impostos. (Ah vá, a prefeitura, o governo estadual e federal vão deixar de arrecadar mesmo?)
3 – Liberação para o uso de bicicletas elétricas com motores de até 250W, ou bicicletas com motores a combustão de até 50cc, por qualquer pessoa (com ou sem CNH) sem restrição. (Ah vá, o DETRAN, e todos os outros órgãos vão deixar de arrecadar também?)

Pense bem, você cidadão, que contribui diretamente ou indiretamente para toda a sociedade. Existem várias soluções, mas deixar a lei ainda mais rigorosa não vai resolver.

A mim, a ideia de aumentar as punições soa correta, porém não só isso, é preciso viabilizar alternativas ao povo – aí dou acordo às propostas do Porkys.

Outra pra lista de sonhos, poderia haver também uma política de incentivo às casas noturnas para disponibilizarem transporte a seus clientes com base em abatimentos de impostos.

Hoje, sou daqueles que, como não tem outro jeito, fica dormindo no carro. A infelicidade é que, além de ser caro ir embora de táxi, no dia seguinte vou ser premiado com um monte de multas de estacionamento, caso a balada tenha sido no Centro.