Por: Ricardo Daniel Treis | 4 anos atrás
neoz

O neozelandês Phil Blackwood é levado pela polícia após ser condenado

Uma corte de Mianmar condenou nesta terça-feira (17) um neozelandês e dois cidadãos do país a 2 anos e meio de prisão por terem usado a imagem de um Buda usando fones de ouvido para promover seu bar.

O caso acontece em meio a uma onda de nacionalismo budista em Mianmar. Desde 2012, ao menos 250 pessoas morreram em uma série de incidentes entre budistas radicais e muçulmanos, e dezenas de milhares de pessoas foram obrigadas a se deslocar, em sua maioria muçulmanas.

O neozelandês Phil Blackwood, gerente do bar que ficava em Yangon, e os birmaneses Htut Ko Ko Lwin, outro gerente, e Tun Thurein, dono do estabelecimento, haviam se declarado inocentes da acusação de insultar a religião budista. Eles foram condenados a cumprir a pena de prisão com trabalhos forçados durante o período.

O juiz considerou que Blackwood, gerente do bar VGastro, “quis insultar intencionalmente as crenças religiosas” com a imagem publicada no Facebook de um Buda com fones de DJ.

image3

Grupos de direitos humanos condenaram o veredito, o considerando um ataque à liberdade de expressão. “As autoridades estão claramente tentando fazer deste caso um exemplo, mas ironicamente isso apenas manchou a imagem de Mianmar e do budismo”, disse Matt Smith, diretor do grupo Fortify Rights.

Blackwood foi preso logo após o veredito e não falou com a imprensa. Em uma audiência em dezembro, ele disse que não tinha a intensão de ofender o budismo quando publicou a imagem de um Buda com fones de ouvido na página do bar no Facebook. O objetivo era promover uma noite com bebidas baratas.

O neozelandês disse que removeu a imagem e publicou um pedido de desculpas quando percebeu que ela havia causado comoção.

gastrobar

Cliquem para acesso à fanpage do bar

Fonte: Agência Reuters


E das ironias, veja os monges do lado de fora do tribunal:

150102-myanmar-0858_17b1e05d2c1d4adab55f52f748549601.nbcnews-ux-840-600

“Essa vai pro feice…”