Por: Ricardo Daniel Treis | 4 anos atrás

Matéria por Rogério Tallini, rádio Jaraguá AM. Foto: Eduardo Montecino.

all

Os municípios de Corupá, Jaraguá do Sul e Guaramirim podem entrar com uma ação conjunta contra a América Latina Logística por causa dos transtornos causados quando da passagem das composições pela ferrovia que leva ao Porto de São Francisco do Sul.

O caso mais grave é de Corupá, onde existe o pátio de manobras da ALL e onde o trânsito fica interrompido constantemente durante a montagem de composições, especialmente, para a subida da Serra do Mar. É comum neste período, pedestres correrem riscos ao passarem entre os vagões e, nos casos mais extremos, estas composições impedirem o trafego de viaturas de bombeiros e Polícia Militar em atendimentos de urgência e emergência. Para resolver os problemas e conflitos com o trânsito, estudo da Câmara Técnica do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), apontou que seriam necessários no mínimo oito viadutos para que o trem passe sem interferir nas cidades. Seriam dois em Guaramirim, cinco em Jaraguá do Sul e outro em Corupá. Ainda não existe previsão de quanto isso poderia custar e nem quem pagaria esta conta, entretanto, é preciso uma solução urgente, na avaliação do presidente da Câmara de Vereadores de Corupá, Eddy Eipper (PSDB).

Em Guaramirim, um dos viadutos seria construído na rua lateral aos bombeiros, para possibilitar a circulação dos veículos durante a passagem do trem. A ferrovia corta a cidade ao meio e dificulta, também, o deslocamento de viaturas de bombeiros e Polícia Militar. Além disso, existem outras preocupações, segundo o vereador, como é o despejo de grãos ao longo da ferrovia, que tem servido de alimento para ratos e outros animais. Depois de muitas solicitações, a ALL tem providenciado a limpeza, segundo Eipper.

Se não houver retorno da ALL, o presidente da Câmara de Vereadores de Corupá defende uma ação judicial coletiva.