Por: João Marcos | 27/01/2014

Depois de ler a presente matéria eu sugiro fortemente que se você é homem, casado, enrolado, amasiado, tem namorada, amante ou relacionamentos com o sexo feminino de qualquer tipo, imprima e o leve contigo para todos os lugares, isso pode salvar a sua vida um dia.

haha

Um estudo inédito publicado pela Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia apropriadamente intitulado Diferenças de gênero no comprometimento da memória subjectiva em uma população geral comprovou o que todos nós homens já suspeitávamos e todas as nossas companheiras já sabiam: homens são mais esquecidos.

“Foi surpreendente ver que os homens esquecem mais do que as mulheres, ainda mais por não ter sido documentado antes. Também foi surpreendente ver que os homens são tão esquecidos aos 30 quanto aos 60 anos de idade. Os resultados foram inequívocos”, diz o professor Jostein Holmen, chefe do Departamento de Psicologia.

Você não lembra onde estava a um ano atrás? Bom, eu não lembro o que eu comi no almoço de ontem. O Professor Holmen e seus colegas fizeram nove perguntas sobre o quão bem as pessoas acham que conseguem lembrar das coisas como parte de um estudo longitudinal de saúde da população realizado na Noruega chamado HUNT3, um dos maiores estudos de saúde já realizados com as respostas de mais de 48.000 pessoas como parte do material de pesquisa.

Os participantes foram questionados com que frequência eles tiveram problemas para se lembrar das coisas, se eles tiveram problemas com nomes e datas por exemplo (RÁ!), se conseguiram lembrar o que fizeram há um ano e se foram capazes de se lembrar de detalhes de conversas. Os homens tiveram mais problemas em oito das nove perguntas.

Para os homens, estes problemas tendem a se agravar com a idade, mas em muito menor escala do que os pesquisadores acreditavam antes. Já as mulheres esquecem na mesma proporção tanto aos 30 quanto aos 50 anos de idade (não, ela não vai esquecer aquela mancada tão cedo, pode correr pra floricultura). O estudo também mostra que as pessoas que são mais escolarizadas esquecem menos do que aquelas com menos educação. Indivíduos que sofrem de ansiedade ou depressão também esquecem mais do que as outras pessoas o fazem e isso é verdade para ambos os sexos.

O estudo também relata que pessoas com problemas de memória apresentam maior risco de desenvolver demência. “Essa foi a razão pela qual incluímos estas perguntas. É importante ressaltar que nós ainda não sabemos qual a importância clínica esse esquecimento pode ter mas agora podemos aprofundar os estudos para tentar descobrir. Problemas com esquecimento em uma idade mais jovem pode não tem qualquer importância também. Sei disso por experiência própria, mas agora eu sei que não estou sozinho”, diz Holmen. Menos mal, já estava ficando preocupado.

Via Meio Bit