Por: Sistema Por Acaso | 4 anos atrás

A manhã movimentada deste sábado (29), no Centro de Jaraguá do Sul, foi cenário da ação de panfletagem do Movimento O Sul é meu país. Além disso, ainda na praça Ângelo Piazera, o grupo realizou a eleição da comissão do Movimento no município, do qual 11 pessoas ocuparam os cargos após dois anos da última comissão formada. Houve também discussões entre os integrantes e os interessados. A nova comissão deve ser divulgada em breve para o conhecimento geral.

De acordo com o empresário e professor, Stanley Rafael Florêncio, de 23 anos, o município conta com o Movimento desde 1994 e, por ser uma cidade rica, as pessoas começaram a não aceitar a forma como está sendo utilizado o dinheiro público no âmbito nacional. “Temos pessoas aqui, que participaram sempre do grupo, e há muito tempo defendem essa causa”, diz.

Para o artesão Ralf Mellintz, 57, o Sul do país é o que produz mais riquezas, por isso, ao mesmo tempo que a separação fosse boa para os três Estados, seria tuim para o resto do país. “Mas acredito que esta não seja a melhor ideia para que as coisas melhorem. Se cada Estado tivesse mais autonomia, tudo seria mais fácil”, propõe. “Mas para tudo dependemos do Governo Federal.”

Conheça o movimento

É a resistência pacífica ao imperialismo centralizador do estado brasileiro. A instituição foi criada com a finalidade de elaborar estudos e organizar debates livres para avaliar possibilidades pacíficas e democráticas da pessoas dos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. É legalizada segundo as leis brasileiras vigentes e busca a melhor forma para alcançar os objetivos, propondo discussões com a sociedade Sul-Brasileira sobre a melhor maneira de a nação conquistar sua autodeterminação.

Via OCP Online.