Por: Max Pires | 7 anos atrás

Os moradores da rua Camilo Picolli, no bairro Estrada Nova, em Jaraguá do Sul, estão preocupados com a demora da construção de uma galeria pluvial para conter os problemas de uma vala que corta toda a rua. Além do mau cheiro nos dias quentes por causa do esgoto que também escorre no ribeirão, os alagamentos frequentes são outra preocupação dos moradores já que a vala não está cercada. “Tem muitas crianças que passam por aqui correndo. Qualquer hora, uma delas cai e pode se machucar”, reclama o técnico de informática Tarcísio Schünke.

O problema na Camilo Picolli existe há pelo menos 15 anos. Em março, a situação se agravou. Por causa das fortes chuvas, um tubo que quebrou resultou no desbarrancamento de uma parte da calçada. Para passar pelo local é preciso ir pela rua, dividindo o espaço com os carros.

“Se chover mais forte, corre risco de o asfalto ceder”, anuncia Tarcísio. Segundo ele, a rua serve de passagem para as crianças que estudam na Escola Municipal Marcos Emílio Verbinen.

A servente Simone dos Santos, 34 anos, também está preocupada. Ela tem dois filhos que estudam na Marcos Emílio e conta que eles precisam passar pela vala para ir para casa. “A gente tem medo porque sabe como são crianças, sempre estão correndo. Acho que só vão fazer alguma coisa quando alguém sofrer algum acidente aqui.”

A dona de casa Arlete de Almeida, 56, mora há 15 anos em frente a vala e comemora pelo fato de seu imóvel nunca ter sido atingido pelos alagamentos. “Mas sempre que chove mais forte a rua alaga. É um problema que existe anos”, denuncia.

A moradora ainda diz que não aguenta mais o mau cheiro que vem do ribeirão nos dias quentes. “Quando o dia está muito abafado, começa um forte cheiro, que é terrível”, reclama.

O que diz a Prefeitura
O secretário de Obras Valdir Bordin afirma que a Prefeitura recebeu R$ 100 mil do governo federal para fazer as obras da galeria pluvial na Camilo Picolli e que o processo ainda está em fase de licitação. “A licitação para contratar a empresa que fará o trabalho deve sair nos próximos dias. Mas não tenho como garantir quando as obras vão começar porque alguma empresa concorrente que perde a licitação pode entrar com algum recurso e que geralmente acaba atrasando os trabalhos”, avalia.

Via AN.