Por: Ricardo Daniel Treis | 15/09/2015

Na escola municipal Lupércio Belarmino da Silva os professores estavam preocupados com o nível de ansiedade e estresse dos alunos. Foi quando a nova professora de educação física, Rosângela Martins dos Santos, 49, propôs uma estratégia pouco usual nas escolas para lidar com o problema: meditação.

A prática fez tanto sucesso entre alunos e professores que já está sendo estudada pela Prefeitura de Florianópolis para, quem sabe, ser levada também para outros estabelecimentos da rede municipal.

meditacao02

“A meditação desperta o que existe de melhor nas crianças. Não apenas força, coordenação, flexibilidade, que normalmente são os resultados de exercícios físicos, mas consciência, criatividade e um sentimento de pertencimento, de inclusão”, defende Santos, que medita desde seus 19 anos.

Rosângela conheceu o método chamado Yoga na Educação, criado pela francesa Michelina Klak e pelo suíço Jacques De Coulon, em 2009 e começou a levar a prática pessoal para suas aulas.

Quando foi transferida para a Lupércio Belarmino, a professora incorporou na prática uma outra técnica, a meditação para paz, da indiana Anmol Arora.

meditacao03

Segundo a ONG Mente Viva, coordenada pela própria Anmol Arora, a meditação para paz já é ensinada em 194 escolas brasileiras. Cerca de cinco mil crianças em todo o país tem contato com técnica construída pela psiquiatra.

Além dos benefícios para o corpo e para a respiração, a meditação ajuda também na concentração e no relaxamento, melhorando a relação entre os alunos e até mesmo o desempenho escolar.


Por um mundo com crianças (e adultos) menos ansiosas (e mais conscientes), compartilhe essa ideia. 😉

Este artigo foi montado com trechos das matéria publicadas pel’O Barato de Floripa, e Aline Torres para o Uol Educação.

Fotos: Luiz Evangelista/UOL.