Por: João Marcos | 6 anos atrás

O escritor Marcelo Rubens Paiva recorreu ao Twitter para tentar sair de um voo da TAM em Congonhas, após ser esquecido no avião na tarde deste domingo. O vôo saiu às 17h30m do Rio de Janeiro e chegou a São Paulo por volta das 18h30m. Rubens Paiva, que é paraplégico, revelou o inusitado drama em duas mensagens na rede social.

Na primeira, escrita por volta das 18h50m, o escritor pedia ajuda a quem estivesse online: “TAM me esqueceu dentro de 1 aviao. Voo 3971. Em Congonhas. Alguem pode ligar e pedir ajuda? Help!”.

Quatro minutos depois, brincou com a situação: “Tripulacao foi embora e me esqueceram rrr. Vou roubar este Airbus. Sera q é facil pilotar?”

A TAM levou dez minutos para responder a mensagem através de sua conta oficial no Twitter: “Oi, Marcelo! Poderia por gentileza detalhar via DM o que exatamente ocorreu para que possamos lhe auxiliar? Obrigado”.

Segundo a TAM, o que houve foi uma demora no desembarque dos cadeirantes em três voos da empresa que chegaram ao mesmo tempo em Congonhas. O desembarque exige o uso de um equipamento especial, semelhante a um elevador. Quatro passageiros nesses voos eram cadeirantes e a TAM tem apenas um equipamento.

Em torno das 19h40m, Rubens Paiva disse que o problema foi resolvido, não sem criticar a empresa: “Serio. Demoraram mais tempo pra me tirarem do aviao do q voo RJ SP”.

Leia a íntegra da nota oficial da TAM:

“A TAM informa que seu ambulifit, equipamento utilizado para efetuar com segurança o desembarque de passageiros em cadeira de rodas, estava atendendo clientes em outros voos no momento do desembarque no voo JJ3971 (Rio de Janeiro/Santos Dumont – São Paulo/Congonhas), onde se encontrava Marcelo Rubens Paiva, que precisou esperar cerca de 25 minutos para ser desembarcado. Lamentamos o desconforto experimentado pelo nosso cliente e asseguramos que em nenhum momento ele ficou “esquecido” na aeronave, como chegou a ser divulgado. A tripulação seguiu todos os procedimentos adequados à operação.”

O que mais me chamou a atenção foi tudo ter sido resolvido pelo Twitter, o escritor não poderia ter ligado?

Fonte: O Globo