Por: Sistema Por Acaso | 05/02/2015

O Rio Itapocu, após a confluência com o Rio Jaraguá, próximo ao terminal rodoviário, no Baependi, voltou a apresentar manchas escuras, similares a de óleo, ontem pela manhã. O fato é recorrente, segundo o presidente da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fujama), Leocádio Neves e Silva. A causa deverá ser averiguada durante o dia de hoje, pelos fiscais da Fundação.

De acordo com Leocádio Neves e Silva, a presença de manchas naquele ponto do rio já foi até motivo de inquérito civil público, em julho do ano passado, para a apuração do responsável, mas não houve a identificação. “Algumas empresas foram autuadas para que corrigissem problemas”, conta o presidente da Fujama. Para ele, a causa das manchas pode partir de alguma empresa que atua na clandestinidade.

DSC_0121-1024x680

“De vez em quando aparecem”, destaca Leocádio Neves e Silva, sobre as ocorrências naquele ponto. “Fizemos uma série de verificações, mas nunca conseguimos encontrar a origem”, explica. O presidente da Fujama informa que já havia sido notificado pela equipe de fiscalização , que foi a campo ontem, de manhã e à tarde, para verificar o reaparecimento.

O fiscal ambiental da Fujama, Luiz Carlos Stethani, esteve no local em dois momentos e não encontrou a mancha. Segundo ele, não se trata de resíduo industrial. A causa provável pode ser uma falha na rede coletora da Samae, que também irá verificar a situação e identificar a causa. “Às vezes o sistema sobrecarrega”, diz Stethani.

Via OCP Online.