Por: Deivis Chiodini | 3 anos atrás

Nesta sexta o UFC terá a definição da primeira campeã dos pesos palhas entre as finalistas do TUF 20, em Las Vegas. No evento o brasileiro Charles do Bronx enfrenta Jeremy Stephens, buscando o top 10 dos penas. Já no sábado um card de arrepiar, com vários brasileiros e com Junior Cigano na luta principal marcam o Fight Night agendado para Phoenix, no Arizona. Na sexta a transmissão começa as 21 horas e no sábado as 18:30 horas, as duas no Canal Combate. Vamos aos principais combates do final de semana, começando com a sexta feira:

Carla Esparza x Rose Namajunas (cinturão dos palhas feminino): A final do TUF 20 também definirá a primeira campeã do peso palha feminino no UFC. De um lado a favorita desde o inicio e última campeã do Invicta, Carla Esparza. Do outro a zebra Rose Namajunas. Carla como sempre foi implacável em sua participação no programa, finalizando a primeira luta num mata leão de pé e a em seguida garantindo duas decisões claras contra as perigosas Tecia Torres e Jessica Penne.

39635c61d23a003b23f3c914419d4a84_crop_north

Sua trocação ainda é limitada, mas ela tem um bom nível de wrestling e busca a queda o tempo todo, com bons single legs e body locks, usando depois o controle posicional para pontuar e achar uma brecha para finalizar. Já Rose, também gosta da luta agarrada. Dona de trocação limitada, ela tem defesa de quedas as vezes falha, mas tem bons ataques da guarda, não se intimidando por baixo. No TUF ela finalizou as 3 oponentes, sendo que inclusive uma das favoritas Joanne Calderwood, com uma kimura.
Palpite: As duas gostam da luta agarrada e por ali que ela deverá correr. Mas a maior experiência de Esparza fará a diferença e ela levará o cinturão por decisão.

Jeremy Stephens x Charles do Bronx (categoria dos penas): Após quase ser demitido do evento, Jeremy Stephens baixou para os penas, venceu três lutas em sequência e só parou numa derrota por decisão para Cub Swanson. Para retomar o caminho das vitórias, ele terá que vencer o brasileiro Charles do Bronx, que vem de duas boas vitórias por finalização, sendo a última sobre Hatsu Hioki. Apesar de bom grappler, é na trocação que Stephens se destaca, com grande poder de nocaute para categoria, seja com chutes potentes ou sua principal arma, os uppercuts. Grande para categoria, ele usa bem o clinche, mas contra um grappler do calibre de Do Bronx, que sempre tem uma finalização na cartola, é um grande risco.

UFC-Fight-Night-43-Charles-Oliveira-comemora-finalização-sobre-Hatsu-Hioki

O brasileiro até tem evoluído na parte de trocação com maior uso dos chutes baixas, boas joelhadas e um boxe de volume, mas ainda apresenta falhas defensivas e isso contra um mãos de pedra como Stephens pode ser fatal. Sua estratégia não é segredo: encurtar, colocar a luta pra baixo e buscar uma finalização, seja por baixo onde uma guarda ativa lhe permite triângulos de todos os jeitos ou raspagens muito técnicas, ou por cima, com bons ataques ao pescoço.
Palpite: Luta dura pro brasileiro, que vai ter que estar com o queixo em dia. Acredito que Charles vem evoluindo bem, controlará o americano no chão até achar uma brecha para finalizar no 3° round.

Já no sábado teremos um grande card. Além das lutas abaixo, fique de olho na brasileira Claudinha Gadelha, em luta que pode lhe valer o title shot:

Gabriel Napão x Matt Mitrione (categoria dos pesados): Reze para essa luta acabar antes dos 10 minutos ou o último round será um tormento, pela falta de gás dos dois. Num confronto clássico de estilos, temos um Mitrione sendo aquele peso pesado classicamente brucutu, com seu portentoso físico de ex jogador de futebol americano, uma pedrada nas mãos, técnica pouco rebuscada, e falhas no jogo de grappling. Napão não foge muito disso, tem uma trocação limitada (apesar dos bons nocautes), mas compensa com a excelência na luta agarrada, sendo um finalizador mortal.

UFC 142: Gonzaga v Oliveira

Estratégias de luta simples: Mitrione controlar a distância com seus 15 cm a mais de envergadura, até acertar um balaço e mandar Napão a lona. Já o brasileiro deve buscar se movimentar, cortar os ângulos na trocação para encurtar e colocar a luta na grade ou no chão para finalizar. Quem conseguir impor sua vontade, deve sair vencedor.
Palpite: Napão é mas técnico que Mitrione, mais completo, e fará bem seu trabalho para finalizar no começo do 2° round.

Alistair Overeem x Stefan Struve (categoria dos pesados):Vindo de três derrotas nas suas últimas quatro lutas e sempre com a desconfiança do doping, Overeem precisa com urgência dessa vitória. Do outro lado, após quase dois anos parado tratando uma doença cardíaca, Stefan Struve também tenta reerguer sua carreira. Dono de bom kickboxing e um queixo razoavelmente resistente, Struve tem boa capacidade de resolver situações adversas usando seu jiu jitsu, seja por cima ou na guarda, com belas finalizações. Lhe falta ainda saber usar sua gigante envergadura (2,15 m) o que lhe dará vantagem sobre Overeem.

USATSI_5932624.0

Já o ex campeão do Strikeforce, vem de mais uma derrota decepcionante, traído pelo seu queixo nada resistente contra Ben Rothwell. Deixando de lado o fato de não ser dos mais resistentes e costumar entregar-se quando leva a primeira bordoada, temos que destacar a trocação poderosa de Overeem, nível de campeão do K-1, com um thai clinch poderoso. Reem tem boa defesa de quedas e seu jiu jitsu é por bom nível com destaque para as kimuras e as guilhotinas (já foram 9 finalizações envolvendo o pescoço pela frente).
Palpite: Overeem vai tentar fazer um jogo de segurança, quedando e não vacilando na guarda de Struve, para conseguir um nocaute no ground and pound no terceiro round.

Rafael dos Anjos x Nate Diaz (categoria dos leves): Um dos top contenders da divisão, mas sofrendo com a demora que Pettis teve para defender seu cinturão, o brasileiro Rafael dos Anjos segue sua caminhada demonstrando grande evolução e vencendo os tops da categoria como Cerrone e Bendo. Já o sempre polêmico Nate Diaz, retorna um ano após nocautear Gray Maynard e gerar muitas polêmicas sobre salários,lutas por cinturão, etc.

UFC-Fight-Night-42-Rafael-Dos-Anjos-acerta-chute-em-Jason-High-Foto-Josh-HedgesZuffa-LLCGetty-Images-600x330

Nate é menos talentoso que seu irmão Nick, mas seu jogo é calcado nas mesmas bases: Boxe “lango lango”, com volume absurdo e socos de ângulos pouco ortodoxos, o que poderá ser complicador para Rafael visto a vantagem de 10 cm de envergadura de Nate. Ele tem dificuldades no clinche e sua defesas de quedas é frágil, mas sua guarda é excelente e ele tem um triângulo mortal e uma guilhotina que já pegou nomes como Jim MIller e Melvin Guillard. Já Rafael, antes apenas um grappler mostra evolução gigante. Dono de um condicionamento físico fora da curva e defesa de quedas extremamente sólida (apenas furada por Nurmagomedov), dono de jogo de chão finíssimo, capaz de fazer frente a Nate, Rafael deve usar e abusar das combinações de muay, com os chutes baixos e movimentação lateral, para encurtar a distância, tentar prender Nate na grade ou usar o thai clinch e o dirty boxing, onde ele terá boas chances de minar as energias do americano.
Palpite: Nate é mais espetacular e pode tirar um coelho da cartola, mas a tendência é de Rafael suplantar o mais novo dos Diaz com muita movimentação e levar por decisão.

Junior Cigano x Stipe Miocic (categoria dos pesados): Essa luta deveria ter acontecido em maio, mas uma lesão na mão de Cigano impediu e fez com que o Miocic nocauteasse Maldonado em 35 segundos. O vencedor desse embate deve enfrentar Travis Browne para definir o próximo contender, após a unificação dos cinturões linear e interino (Velasquez x Werdum).

131555985RH203_UFC_on_FOX_V

Miocic é o modelo de lutador americano clássico. Boxe de alto nível, com muita movimentação para um peso e bom volume de golpes, combinando com poderosos cruzados se juntam a um jogo de wrestling muito eficiente, seja na grade controlando ou derrubando e fazendo ground and pound, o tornam um lutador perigoso a qualquer um na divisão. Júnior Cigano após novamente ser surrado por Cain Velasquez, o catarinense se mudou de mala e cuia para Nova União em busca de novos ares e novos treinos. Sua defesa de quedas que foi judiada contra Cain é sólida e sua capacidade no clinch vem evoluindo. Mas sem dúvida a trocação é o carro chefe. Atleticismo extremo, jogo de pernas fluído, bom chutes e principalmente o melhor boxe dos pesados (e um dos 5 melhores do MMA) fazem dele um jogo duríssimo na trocação, levando a nocaute caras como Velasquez, Werdum e Hunt. Destaque para as combinações que começam no corpo e terminam com o famoso upper que derruba até parede.
Palpite: Miocic é perigoso, mas aposto num Cigano com maior variação, quem sabe até buscando algumas quedas no início para assustar o oponente. Depois impondo seu boxe, o brasileiro voltará a triunfar por nocaute no terceiro round.