Por: Sistema Por Acaso | 5 anos atrás

protesto-contra-os-gastos-para-a-realizacao-da-copa-no-rio-de-janeiro05152014_0001

A poucos dias do início da Copa do Mundo, uma nova pesquisa mostra que a maioria das pessoas não está muito interessada no evento — ou pelo menos os residentes das cidades-sede. Realizado entre os dias 5 e 12 de maio, o estudo revela que apenas 23% deles declararam ter muito interesse pelo Mundial. E mais: 60,3% dos entrevistados afirmaram que a Copa será péssima, ruim ou regular.

O levantamento foi coordenado pelo professor Alexandre Panosso Netto, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP, juntos com os pesquisadores Manuel Alector Ribeiro, da Universidade do Algarve, e Dogan Gursoy, da Washington State University. Ainda assim, os brasileiros que acreditam que a Copa será boa ou ótima representam 37%.

“A população tem orgulho e está feliz com a realização da Copa no Brasil”, diz Panosso, em entrevista à GALILEU. “A crítica maior é com a forma como o evento está sendo organizado.” O descontentamento, de acordo com o professor, está relacionado a três temas básicos: o custo financeiro, que parece ser um dos mais caros da história; as obras que não foram entregues a tempo, sobretudo de infraestrutura; e os possíveis indícios de corrupção.

Segundo ele, o estudo surgiu da necessidade de compreender a opinião das pessoas que vivem nas 12 cidades-sede dos jogos. Aplicada pelo Instituto Datafolha, a pesquisa se baseou em projetos semelhantes desenvolvidos nas copas da Alemanha e da África do Sul. Foram 3.770 entrevistados e a margem de erro é de 1,6%. O mesmo questionário será aplicado em novembro deste ano, para que os dados sejam cruzados.

As opiniões, no entanto, dividem-se sobre a afirmação “A Copa de 2014 será a melhor Copa de todos os tempos”, já que 48,7% dos entrevistados responderam que discordavam e 41% concordavam totalmente. Além disso, 62,3% da população respondeu que concorda totalmente ou em parte com a afirmação “Eu estou bem informado sobre a Copa do Mundo de 2014”.

“A informação é fundamental para a tomada de posição e opinião”, afirma Panosso. “Creio que justamente porque a população está informada, ela tem desinteresse pelo evento em si — como possibilidade de ludicidade, entretenimento, diversão.” O desinteresse parece estar ligado ao fato de o evento ser no Brasil. “As outras Copas, fora de nossa casa, não eram uma preocupação nossa. Não nos preocupávamos com estádios ou com acessibilidade.”

Panosso diz que, embora a pesquisa não aborde o tema das manifestações de junho, é “inegável que aquele momento histórico trouxe à tona muito do que estava — e está — engasgado na garganta” dos brasileiros.

Fonte.