Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás


Gêmeos idênticos criados à parte compartilham muitos aspectos de personalidade e geralmente têm em comum muitos aspectos peculiares de hábitos e interesses. Jim Springer (esquerda) e Jim Lewis são gêmeos idênticos que foram adotados por famílias diferentes quando tinham 4 meses de idade, e não se conheceram por 39 anos. Quando descobriram-se, viram que gostavam da mesma marca de cigarros (Salems), cerveja (Miller Lite), carros (Chevrolets azuis), hobbies (carpintaria), e interesses (stock-car). Ambos têm a mesma postura, suspendem as mãos da mesma maneira, e sofrem de enxaqueca e pressão alta. Ambos construíram cercas circulares ao redor das árvores em seus jardins, tiveram primeiras mulheres chamadas Linda, segundas mulheres chamadas Betty, um filho chamado James (James Alan e James Allan), e um cão chamado Toy. Além de tudo, quando preenchem testes de personalidade, alcançam os mesmo resultados nos índices de tolerância, conformidade, flexibilidade, auto-controle e sociabilidade.


Ok, mas o Jim Lewis sabe escolher melhores barbeiros.

Mas agora essa peculiaridade quanto aos nomes foi que mais me impressionou. Coincidência demais apresentada nesse caso ou somos hereditariamente atraídos à pessoas pela fonética?