Por: Tita Pretti | 4 anos atrás

Uma viagem a rotas do Brasil Império, a cidades envolvidas na Guerra do Contestado, ao passado da cana-­de­-açúcar e, além disso, a possibilidade de trafegar em uma ponte férrea em curva.

Após décadas de inércia, projetos que contam com a iniciativa privada, prefeituras, órgãos federais e entidades de preservação da memória ferroviária preveem a retomada de linhas turísticas em nove locais, de seis Estados: São Paulo, Minas Gerais, Rio, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Editoria de arte/Folhapress

Editoria de arte/Folhapress

Em União da Vitória (PR), uma das cidades envolvidas na Guerra do Contestado (1912-­1916), a rota de 6,5 km vai até Porto União (SC) – são
vizinhas, separadas justamente por um trecho ferroviário. Para circular, os municípios aguardam liberação do Ibama para reformar o Trem do Contestado, que tem 101 anos.

trem
Já os municípios de Canoinhas e Três Barras tomaram como meta o projeto do trem turístico entre os dois municípios, numa extensão de 12,6 quilômetros. Segundo o diretor de turismo de Canoinhas, Marcelo Tokarski, alguns equipamentos ferroviários já estão sendo comprados e a linha está sendo recuperada entre as estações de Marcílio Dias (Canoinhas) e de Três Barras (no Centro). “Mafra já sinalizou que quer aderir ao projeto, mas ainda não há recursos financeiros para recuperação da linha entre Três Barras e Mafra”, comenta.

O projeto de reforma da locomotiva visa reforçar o turismo no Planalto Norte por meio da reativação e adaptação da Ferrovia para passeios locomotivos nos pontos de atrativos turísticos da região. De acordo com o assessor de projetos de Três Barras, Claudio Hoppe, a finalidade do projeto é retratar a época de ouro do Planalto Norte Catarinense por meio da divulgação da Ferrovia e de relatos sobre a história do Contestado.

“A história é o espelho do nosso projeto que propõe o resgate do valor familiar, a recuperação das linhas e a divulgação das nossas potencialidades turísticas”, explicou.

O passeio de trem não é o único serviço proposto no projeto. Tokarski adianta que os roteiros Caminhos do Contestado e Turismo Rural, que já envolvem outros municípios, estarão interligados nesse projeto, que inicialmente prevê dois vagões para passageiros e um para restaurante ou para ser utilizado como salão de dança.

O Ministério do Turismo informou ter destinado, nos últimos 13 anos, R$ 22 milhões para recuperar estações, implantar trens turísticos e melhorar trechos ferroviários de 27 cidades.

Fontes: 01, 02 e 03.