Por: João Marcos | 6 anos atrás

Se no domingo o discurso do Juventus novamente era desesperador, hoje existe uma luz acesa no fim do túnel. E ela pode se tornar mais forte após a sessão de hoje da Câmara Municipal, quando um projeto de apoio ao clube irá para a primeira votação.

A segunda-feira iniciou com uma reunião entre representantes do Tricolor, da Prefeitura e vereadores. Porém, a conversa no gabinete do prefeito não evoluiu, já que, por lei, nenhum órgão público pode destinar dinheiro a um time profissional, considerado como entidade privada, como é o caso do Moleque Travesso. Um segundo encontro foi marcado para a parte da tarde, na Câmara, envolvendo apenas os representantes do clube e os vereadores. Ficou acordado o envio de um projeto, a toque de caixa, para tentar dar um respiro financeiro ao Juventus. Segundo o vice-presidente jurídico, Ricardo Barrichello, o recurso seria destinado para a Liga Jaraguaense de Futebol, entidade que possui todas as certidões negativas para receber a verba, sendo também declarada de utilidade pública municipal. Esta repassaria o valor ao Juventus, clube devidamente associado à entidade, que assim poderia dar sequência em sua participação no Catarinense.

Via OCP 

Então ficam as duas convocações a torcida Juventina, vamos comparecer na sessão da câmara na noite de hoje às 19h para acompanhar a decisão dos vereadores e no domingo lotar o Marcatto para apoiar esse time de guerreiros, que apesar das adversidades sofridas fora do campo, vem representando bem nossa cidade dentro dele.

Mas quanto as promessas de ajuda e até mesmo essa sessão da Câmara, peço que leiam esse artigo aqui com atenção. Segundo Peron, qualquer ajuda da prefeitura para o Juve é ILEGAL: 

“A prefeitura só pode destinar dinheiro para o esporte amador, a formação de base e que envolvam crianças e jovens, uma espécie de complementação educacional, um programa de cunho social. Para que isso ocorra, a entidade beneficiada precisa estar com toda documentação rigorosamente em dia, o que não é o caso do Juventus.”

Afinal o clube acumula das administrações anteriores uma dívida de aproximadamente 3,6 milhões e das dívidas novas, o técnico Pingo já está há 7 meses sem receber e parte dos jogadores há 2.