Por: João Marcos | 25/09/2012

A medida partiu do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), que também determinou a interrupção das atividades do YouTube por 24 horas no Estado. O presidente do Google é acusado por crime de desobediência por não ter tirado do site de vídeos da companhia duas produções contra o candidato à Prefeitura de Campo Grande Alcides Bernal (PP).

Em nota divulgada pelo UOL, tanto Google quanto Coelho informaram que vão recorrer, e que o conteúdo postado no YouTube não é de responsabilidade da plataforma, mas sim do usuário que botou aquilo no ar.

Não é o que pensa o relator do caso, juiz Amaury Kuklinski, que apoiou decisão do colega Flávio Saad Peren, da 35ª Zona Eleitoral. Na semana passada, Peren tinha feito as determinações, o Google recorreu, mas perdeu.

“Conquanto seja um espaço livre e democrático, o uso indevido da internet, na esfera eleitoral, deve ser coibido, na medida em que não se trata de território isento de responsabilidade e não se vislumbra qualquer causa de imunidade no manuseio dessa ferramenta de comunicação”, escreveu Kuklinski, segundo a Folha.

/Olhar Digital