Por: Max Pires | 8 anos atrás

O compositor e cantor Jorge Vercillo é atração na agenda cultural de Jaraguá do Sul no dia 19 de maio, com apresentação no Centro Cultural da SCAR – Sociedade Cultura Artística.

Com mais de 1,5 milhão de cópias vendidas, é um dos nomes mais consagrados da MPB na atualidade. O show acontecerá às 20h30min. Ingressos a venda na secretaria do Centro Cultural ao preço de R$ 50,00 (inteira), R$ 25,00 (estudantes) e R$ 40,00 mediante a doação de 1 quilo de alimento.

Informações pelo telefone (47) 3275-2477.

Reconhecido pela crítica como um dos artistas mais bem-sucedidos do Brasil, Jorge Vercillo tornou-se um autor requisitado por novos expoentes e grandes nomes da nossa música. Suas canções já foram gravadas jovens nomes da MPB como por grandes intérpretes, como Ana Carolina, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Leila Pinheiro, Luisa Possi, Danilo Caymmi, Pedro Mariano, Jorge Aragão, Peri Ribeiro, dentre outros.

Cantor, compositor e violonista, em 15 na os de carreira lançou três DVDs e dez CDs, sendo sete deles de canções inéditas, além das coletâneas Perfil Jorge Vercilo (2003) e Jorge Vercilo Ao Vivo (2006) e do projeto especial Coisa de Jorge (2007), CD e DVD que Vercillo lançou junto com Jorge Mautner, Jorge Benjor e Jorge Aragão.

Em abril deste ano lançou “D.N.A”, seu mais novo trabalho, o oitavo disco de inéditas. D.N.A. traz ainda a jazzística “Caso perdido”, primeira parceria de Vercillo com Max Viana, nascida em um dos vários encontros de compositores, promovidos por Vercillo e Dudu Falcão, também parceiro de Vercillo em “Cor de mar”, que traz elementos de salsa, reggae, xote e shufle.

Pela primeira vez Vercillo usa cavaquinho, surdo, violão de sete cordas e formação original de samba num disco. A música “Verdade oculta”, de sua autoria, mostra o momento de envolvimento do cantor com a teosofia, ufologia e uma visão holística do mundo (“Como é que eu devo ter medo do que é só amor? / Perceba a cumplicidade entre espinho e flor… / Quem não julga o desigual nada vai descriminar…”). Em “Ventos elísios”, também de sua autoria, Vercillo faz um questionamento sobre a nossa incapacidade de compreender e de se aprofundar no que é impalpável e indizível (“É raso quando falo do profundo / É claro o despreparo se eu adentro pelo escuro”). Jorge Vercillo ainda elegeu duas de suas canções já registradas por grandes – e queridas – intérpretes: “O que eu não conheço” (parceria com Jota Velloso), gravada por Maria Bethânia em 2009, no disco “Tua”, que agora ganha uma versão mais intimista, e “Um edifício no meio do mundo” (Jorge Vercillo/Ana Carolina), registrada pela parceira no projeto “Dois Quartos”, de 2009.A canção “Deve Ser”, parceria com Dudu Falcão, entrou como faixa bônus. A balada, que compõe o repertório do último DVD de Vercillo, “Trem da Minha Vida”, está na trilha sonora da novela “Viver a Vida”, da TV Globo.