Joinville – Santa Catarina

Joinville é um município brasileiro situado na região nordeste do estado de Santa Catarina, com 1130,878 km² de área e população de 515.250 habitantes em 2010. Município mais populoso de Santa Catarina e o terceiro da região Sul, é também sede da Microrregião de Joinville, da Mesorregião do Norte Catarinense e da Região Metropolitana do Norte/Nordeste Catarinense (juntamente com Araquari). Sua região metropolitana, constituída pelos municípios adjacentes que formam entre si a Região Metropolitana do Norte/Nordeste Catarinense, conta com cerca de 1.094.570 habitantes.

A cidade possui um dos mais altos índices de desenvolvimento humano (IDH) entre os municípios brasileiros, ocupando a décima terceira posição nacional, e a quarta entre os municípios catarinenses. Joinville ostenta os títulos de Manchester Catarinense (devido ao seu desenvolvido parque industrial), Cidade das Flores, Cidade dos Príncipes, Cidade das Bicicletas e Cidade da Dança. É ainda, mundialmente conhecida por sediar o Festival de Dança de Joinville, considerado o maior evento do gênero no mundo em número de participantes (segundo o Livro Guinness dos Recordes) e de ter a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil a única filial do Teatro Bolshoi fora da Rússia. O principal clube de futebol de Joinville se chama Joinville Esporte Clube.

Os registros dos primeiros habitantes da região de Joinville datam de 4.800 a.C. Os indícios de sua presença encontram-se nos mais de 40 sambaquis e sítios arqueológicos do município. O homem-do-sambaqui praticava a agricultura, mas tinha na pesca e coleta de moluscos as atividades básicas para sua subsistência.

Índios tupis-guaranis ainda habitavam as cercanias quando aqui chegaram os primeiros imigrantes. No século XVIII, estabeleceram-se na região famílias de origem portuguesa, com seus escravos negros, vindos provavelmente da capitania de São Vicente (hoje estado de São Paulo) e da vizinha cidade de São Francisco do Sul. Adquiriram lotes de terra (sesmarias) nas regiões do Cubatão, Bucarein, Boa Vista, Itaum, Morro do Amaral e aí passaram a cultivar mandioca, cana-de-açúcar, arroz e milho, entre outros.

A abastada classe de industriais da região criou, logo no início do século XX, a Associação Comercial e Industrial de Joinville (atual Associação Empresarial de Joinville. Hoje, a região produz 18,9% (valor adicionado fiscal) do PIB global do estado de Santa Catarina.

Joinville é cortada por várias rodovias e linha férreas que também contribuíram para tornar a cidade o 3º maior polo industrial da Região Sul do Brasil.

Apesar da progressiva terciarização do centro, a actividade industrial continua com grande relevância, laborando na sua cintura industrial, grandes conglomerados do setor metal-mecânico, químico, plásticos, têxtil e de desenvolvimento de software, tornando-a um grande polo dessa tecnologia.

Sendo a cidade mais importante industrialmente em Santa Catarina, muitos das mais importantes grupos económicos do país de diversos setores – tais como a Cipla, Buschle & Lepper, Amanco (antiga Akros), Schulz S.A, Busscar, Franklin Electric (Schneider), NeoGrid, Docol, Döhler, Embraco, Ciser, Lepper, Tigre, Tupy, Totvs, Britânia, KaVo Dental, Krona, Universal Leaf Tabacos, General Motors, Whirlpool, Tac, Wetzel, Laboratório Catarinense, Tecnoperfil Plásticos entre outras.

Joinville é o segundo maior polo metalúrgico do Brasil, ficando atrás, apenas do estado inteiro de Minas Gerais. Outra marca importante da cidade, é que ela é, o maior polo industrial de ferramentaria do país.

Jonathas Guerra Maquinas