Por: Gabrielle Figueiredo | 05/11/2015

Em um momento em que os estragos causados pelas cheias e o acolhimento aos refugiados preocupam o Brasil e o mundo, duas acadêmicas do 4º semestre do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Católica de Santa Catarina em Joinville desenvolveram um projeto para construir abrigos em situação de emergência.

A iniciativa foi premiada internacionalmente no concurso promovido pela Autodesk, empresa de software e conteúdo digital, e tem o objetivo de abrigar trabalhadores que prestam socorro em caso de catástrofes ambientais.

Arquitetura. Projeto Katiucia e Jaqueline

Foto: Divulgação Católica

Jaqueline Barcelo Tomaz, 26 anos, e Katiúcia Fontana Alano, 19, projetaram um imóvel que pode ser montado com rapidez em casos de emergência e se adapta a diferentes tipos de espaço. Construído por sistema de encaixe, o módulo habitacional para até 3 pessoas ocupa uma vaga de estacionamento, mas pode ser ampliado para duas vagas em caso de famílias maiores.

Além de atender aos voluntários que atuam nos resgates, o imóvel também pode servir para abrigar pessoas que perderam as casas em desastres naturais e refugiados de guerra. “A essência do projeto foi aplicar o que estudamos na graduação para o bem de outras pessoas”, comenta Jaqueline.

Além de ser prático, a proposta do abrigo também é sustentável, pois prevê o reaproveitamento de materiais. A construção é feita com madeira de pet reciclada, base de pallets de pet reciclado, fechamento externo em PVC e revestimento interno em placa de compensado naval.

O projeto foi desenvolvido durante a disciplina de Projeto Integrador I, que busca aplicar de forma integrada os conhecimentos adquiridos durante o semestre. As acadêmicas dedicaram-se ao trabalho durante três meses, com a criação de uma maquete e de um projeto arquitetônico utilizando um software específico para a área.

A boa notícia veio neste mês: o projeto havia recebido o primeiro lugar na categoria “Arquitetura”. Como prêmio, elas irão participar da conferência Autodesk University (AU 2015), em Las Vegas (EUA), de 1° a 3 de dezembro, que reúne profissionais de vários países. “Quando nos inscrevemos, não imaginávamos que o projeto seria premiado. Agora, nosso maior desejo é que nosso trabalho possa ajudar quem esteja passando por dificuldades”, destaca Katiúcia.

A professora que realizou a orientação do projeto, Letícia Kunow, diz que as acadêmicas conseguiram aplicar os conhecimentos adquiridos em todas as disciplinas lecionadas durante o semestre para resolver um problema real. “Isso mostra que estamos no caminho certo: ensinando com base no que acontece no mundo. O aluno que aproveita esse conhecimento adquire consciência social e uma visão mais ampla do que o mercado de trabalho exige do profissional”, avalia.

O Projeto Integrador ocorre a cada seis meses, com o objetivo de aplicar de forma integrada os conhecimentos adquiridos durante o semestre. A coordenadora do Curso de Arquitetura e Urbanismo, Katia Cristina Lopes de Paula, explica que, a partir do momento em que o desafio de construir um abrigo emergencial foi lançado à turma, os acadêmicos buscaram soluções para resolver dois problemas atuais e que precisam ser debatidos por toda a sociedade.