Por: Gabrielle Figueiredo | 3 anos atrás

Dois acadêmicos da 6ª fase do Curso de Biomedicina da Católica de Santa Catarina em Joinville são os únicos brasileiros a participarem de um projeto internacional com o objetivo de desenvolver a roupa que será usada pelos astronautas que farão a viagem espacial à lua oceânica do planeta Júpiter – batizada de Europa. O objetivo da Nasa é realizar a exploração durante a década de 2020.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Gustavo da Silva, 23 anos, e Elenita Grazieli Dallagnelo, 24, fazem parte de um grupo de estudiosos da SAIC (School of Art Institute of Chicago), escola americana reconhecida internacionalmente pelo desenvolvimento de tecidos de alta tecnologia. A tarefa do TTRG (Textile Technology Research Group) é criar um traje que suporte a atmosfera hostil do satélite natural de Júpiter – caracterizada por alta radiação, baixas temperaturas e alta pressão. A lua do planeta desperta o interesse dos cientistas por possuir água líquida, concentrada em oceanos profundos.

A pesquisa concluiu pela criação de um tecido antimicrobiano de celulose bacteriana, impregnado com nanopartículas de prata. O estudo teve como base o DNA da Deinococcus radiodurans, uma bactéria super-resistente à radiação ultravioleta do espaço em ambientes extremamente frios, condições esperadas em Europa.

A parceria com a SAIC para participar dos estudos sobre a “Missão Sistema Europa Júpiter” surgiu quando os acadêmicos desenvolviam o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), intitulado “Missão ao mundo de Europa: inibição da reconstrução do DNA bacteriano Deinococcus radiodurans com nanopartículas de prata por análise através da superfície de fibras”, que deve ser concluído até maio de 2016.

Europa lua de Júpiter. Imagem: foto tirada pela sonda Galileo

Europa lua de Júpiter. Imagem: foto tirada pela sonda Galileo

Gustavo e Elenita irão apresentar resultado do estudo nos dias 17 e 18 de março, durante o Research Simposium, em Chicago. O evento promovido pela SAIC vai apresentar à comunidade científica, acadêmica e artística as pesquisas desenvolvidas pela instituição. Eles serão as únicas pessoas fora dos EUA a participarem do simpósio.

Para os jovens cientistas, um dos resultados mais importantes da pesquisa é que as descobertas deve colaborar, de forma mais imediata, para o progresso da medicina no nosso planeta. “As missões espaciais sempre contribuíram para o avanço de tecnologias usadas em hospitais e medicamentos, melhorando a saúde das pessoas”, avalia Elenita.

O orientador do TCC, Dianclen do Rosário Irala, afirma que a pesquisa é de grande interesse científico. O professor destaca que o Curso de Biomedicina da Católica SC integra os conhecimentos das biociências com outras áreas, como matemática, a química e a física aplicada – ampliando a visão dos alunos sobre o que acontece no mundo.

“Essa formação global é fundamental para estudantes como o Gustavo e a Elenita, que tiveram a iniciativa de buscar a parceria fora do país, em um projeto de TCC inovador e multidisciplinar como este”, ressalta.

O coordenador do Curso de Biomedicina da Católica SC, Ricardo Tramonte, comenta que os acadêmicos são induzidos e treinados a realizarem pesquisas científicas nos diversos campos da área da saúde desde os primeiros anos de estudos. “Dessa forma, o curso oferece condições para que os alunos adquiram know-how para desenvolver novos métodos e produtos que contribuam com a melhoria da saúde no país”.