Por: Deivis Chiodini | 5 anos atrás

Jon Jones coloca seu cinturão em jogo e caso vença, ultrapassará Tito Ortiz com o maior número de defesas na categoria dos meio pesados. Ele terá pela frente o sueco Alexander Gustafsson, e pela primeira vez enfrentará um lutador de biotipo físico similar ao seu, o que pode finalmente complicar seu jogo. Na mesma noite o brasileiro Renan Barão colocará seu cinturão interino (que já deveria ser definitivo) dos galos em jogo contra Eddie Wineland. No card preliminar, 3 brasileiros: Wilson Reis, Renee Forte e Michel Trator…nada que vá mudar o mundo, guarde as energias pro card principal, que tem grandes lutas.Vamos a elas:

Pat Healy x Khabib Nurmagomedov (categoria dos leves): Pat Healy reestreou no UFC com uma bela finalização sobre o favorito Jim Miller, mas foi pego no antidoping por uso de maconha. Mesmo assim, a boa impressão o colocou no top 10 da categoria e ele terá pela frente o osso duro e aspirante ao top 10 Khabib Nurmagomedov, que venceu suas 4 lutas desde que estreou no UFC. Os 2 lutadores tem características muito semelhantes: Healy em pé usa um pouco mais os chutes, mas tem bom jogo de boxe e o russo tem boa movimentação, costuma andar pra frente e tem boas combinações e mão pesada. A especialidade dos 2 é o jogo de chão, onde Healy aplica muito bem o wrestling, derrubando e procurando posições para finalizar. Já Khabib é oriundo do sambo, e apesar de ter boas finalizações, controla mais a luta usando o ground and pound e buscando o nocaute técnico. Lutaça.
Palpite: Luta duríssima, mas vou de Khabib por pontos.

Costa Philippou x Francis Carmont (categoria dos médios): Dois nomes em ascensão na categoria dos médios se enfrentam nessa luta que pode alçar um deles ao top 10 da categoria. O cipriota Philippou vem de 5 vitórias consecutivas, mas esta inativo desde dezembro por lesão. Ele terá pela frente o ainda invicto no evento e também vindo de 5 vitórias, o francês Francis Carmont. Philippou é um striker nato, com um jogo de boxe excelente, em que costuma encurralar seus adversários, trabalhando combinações. Já Carmont, tem um jogo mais calcado no muay thai, com bons chutes baixos e pisões para controlar a distância, além de mostrar um jogo de wrestling mais eficiente que o de Philippou, que já mostrou dificuldades no solo, principalmente por baixo.
Palpite: Carmont vai derrubar e controlar por cima, levando por pontos.

Brendan Schaub x Matt Mitrione (categoria dos pesados): Ex promessa da categoria e finalista do TUF, Schaub se desencontrou na carreira após ser nocauteado por Minotauro e na sua ultima, abandonou a trocação e usou o wrestling pra vencer de forma burocrática e se manter no evento. No outro lado, um ex colega de TUF, Matt Mitrione, um lutador que construiu toda sua carreira no UFC, mas nunca passou de um coadjuvante no evento. Os 2 tem jogo basicamente igual, bons trocadores, mas Mitrione usa melhor as pernas e controla melhor a distância, mas tem um jogo de defesa de quedas nulo, o que pode ser uma vantagem para Schaub, Se ficarem na trocação, qualquer coisa pode acontecer, pois os 2 tem mãos pesadas, mas Schaub é conhecido por ter um queixo de vidro.
Palpite: Mitrione com um swingaço de esquerda nocauteando no 2° round.

Renan Barão x Eddie Wineland (cinturão interino da categoria dos galos): Dana White, você tem um problema. Seu campeão linear da categoria, Dominick Cruz não luta a 2 anos e se Renan Barão vencer Eddie Wineland (que é bom lutador, mas esta ai mais pela falta de oponentes), seu campeão interino terá varrido a categoria. O que fazer a seguir? Wineland é um bom lutador, com um kickboxing agressivo, bom poder de nocaute e um wrestling razoável. Isso é páreo para Barão? Acredito que não. O potiguar é dono de um dos mais completos jogos do MMA. Barão tem defesa de quedas impecável, o que costuma ser o calcanhar de Aquiles dos brasileiros. Em pé, seu muay thai é afiadíssimo, com guarda sempre correta, movimentação constante. Sua variação em pé é incrível, com uma vasta coleção de chutes rodados, pisões, cotoveladas e joelhadas voadoras, tudo bem conectado, sem afobação. No chão, um jogo de jiu jitsu do mais alto nível, com transições certeiras (como na finalização sobre Michael McDonald), passagens de guarda rápidas. Muita atenção no sempre perigosos katagatame, que parece ser o carro chefe dos atletas da Nova União. Enfim, Barão tem tudo para reinar absoluto nessa categoria por muito tempo.
Palpite: Barão vai colocar Winelando no chão e finalizar no 3° round.

Jon Jones x Alexander Gustafsson (cinturão da categoria dos meio pesados): Jon “Bones” Jones vai enfrentar alguém que tem seu tamanho finalmente. Mas, ai eu olho para as lutas de Gustafsson contra lutadores menores e fico pensando “porque todo esse hype?”. O sueco é definitivamente um bom lutador e merece a disputa do cinturão, mas dai a dizer que ele é a maior ameaça que JJ já enfrentou é demais (Vitor e Lyoto são mais perigosos na minha opinião). Gustafsson pode ter até a mesma altura do campeão, mas a diferença na envergadura ainda é bem grande (21 cm), coisa que o sueco tentará compensará com combinações de soco e chutes, entrando rápido e saindo do raio de ação de JJ. Não espere trocação franca por parte do sueco na curta distância, pois seria um prato cheio para as cotoveladas e principalmente as quedas.
Será um jogo de “gato e rato”, algo como Machida tentou fazer, mas dessa vez um pouco mais de perto, porém sem tanta velocidade. Já o campeão vai usar suas tradicionais armas: chutes e socos rodados, contragolpes com os cotovelos e joelhadas, e a cada encurtada, uma tentativa de queda. Gustafsson pode até defender bem as mesmas, mas em alguma hora estará suscetível e no solo, Bones controla com seus cotovelos, buscando brechas para finalização ou vencer por nocaute técnico.
Palpite: JJ continua soberano e pra mim, vence no 2° com uma finalização por guilhotina.