Por: Gabrielle Figueiredo | 3 anos atrás

Segue artigo publicado por Daniel Filho no jornal O Correio do Povo

A jaraguaense Alida Victoria Grubba Rudge, que completou 112 anos, pode ser reconhecida oficialmente como a pessoa mais velha do Brasil. O Grupo de Pesquisa em Gerontologia (GRG, na sigla em inglês) busca provas documentais da idosa para incluí-la em sua lista de supercentenários. A entidade é a consultora principal para o Guinness World Records, o Livro dos Recordes, e autenticou a brasileira Maria Gomes Valentim (1896-2011) e, atualmente, a americana Susannah Jones (116 anos) como pessoas mais idosas do mundo.

Dona-Alida-Grubba OCP

Foto: Eduardo Montecino

Na lista de supercentenários, que reúne pessoas com 110 anos ou mais, ainda não há nenhum brasileiro reconhecido oficialmente. “Precisamos receber a documentação, encaminhar para o Grupo reconhecer e será uma alegria incluir a Dona Alida nessa lista”, afirma o correspondente do GRG no Brasil, Ricardo Lago.

Três documentos são exigidos para comprovar a idade de Alida, como explica o correspondente. Ele sugere a certidão de nascimento, a de casamento e a carteira de identidade, por serem documentos confeccionados em diferentes momentos da vida da jaraguaense. A família precisa autorizar a inclusão na lista. “A análise da documentação deve ser rápida. Se for disponibilizada, não há nenhuma dúvida que ela será a pessoa mais velha do Brasil com comprovação oficial”, destaca Lago.

Se Alida entrasse na lista do GRG hoje, ela seria a 37ª pessoa mais idosa em todo o mundo, e a primeira no Brasil. O Grupo reconhece oficialmente 44 pessoas supercentenárias no mundo vivas atualmente. Do total, 42 são mulheres e dois são homens. Susannah Mushatt Jones, a mulher mais velha do mundo, tem 116 anos e vive em Nova York, nos Estados Unidos.

Hábitos de Alida deixam sugestões para viver bastante

Os hábitos da jaraguaense revelam muito sobre o essencial para ter uma vida longa. Em entrevista ao jornal O Correio do Povo, repetindo o que comenta todos os anos, Alida fala que se existe segredo para os 112 anos a frequência ao médico é uma das mais importantes. “Muitos não consultam um especialista porque acham que não têm nada. Aí, quando veem, se dão conta do problema”, comenta o geriatra Regis Oseillame.

Comer seis vezes ao dia em pequenas porções, evitando açúcar e sal em excesso, hidratar-se com água o tempo todo, evitar exposição excessiva ao calor e não fumar são medidas imprescindíveis a quem sonha passar dos 100 anos, diz ele.

Além das questões relacionadas diretamente à saúde física, cercar-se de hábitos para manter a saúde mental também faz parte dos segredos para se viver bastante. O jogo de baralho está presente no cotidiano de Alida. “Eu gosto de jogar baralho para distrair. A gente joga toda semana, eu gosto mais de baralho do que de televisão”, afirmou durante entrevista ao OCP. Ela lê o jornal O Correio do Povo há cerca de 40 anos, colocando a prática na sua lista de atividades cotidianas para se manter bem informada.

Praticar exercícios intelectuais, como baralho, dominó, caça-palavras e outros jogos combatem a demência, reforça o geriatra. Ter a família junto de si, estabelecer um convívio social, ter pensamentos otimistas e praticar atividades físicas moderadas auxiliam o idoso na melhor idade. E tomar esses cuidados desde cedo aumenta ainda mais a chance de qualidade de vida. “Hoje, a medicina tem recursos para a pessoa viver bem, mas tem que passar pelo tratamento mais cedo. Começar a cuidar aos 20, ou aos 40, é melhor do que se preocupar só aos 80”, afirma Oseillame.