Por: Ariston Sal Junior | 15/05/2014
Foto Lucio Sassi/OCP

Foto Lucio Sassi/OCP

Um universo de batalhas épicas e seres mitológicos ganha vida nas páginas do novo livro da jaraguaense Amanda Steilein. Com criatividade, a escritora mergulhou fundo nas histórias fantásticas para criar a saga de Anastácia, uma princesa destinada a liderar um exército.

A inspiração bateu de forma tímida. Primeiro, com a motivação de construir uma narrativa que mostrasse uma mulher em uma função considerada masculina. Dessa primeira ideia, surgiu o perfil da personagem que dá nome ao livro. A ambientação foi pelo gosto da própria autora, que se sente limitada em um contexto comum.

Foram cerca de oito meses de trabalho para rechear as páginas com nomes de povoados, lugares e toda uma realidade própria. O texto expõe a perspectiva de quatro personagens diferentes além da protagonista. Cada fato pode ser acompanhado pelo leitor por vários ângulos e interpretações diferentes. Além dos conflitos internos, luta com lobos enfeitiçados e muita aventura dão o tom. “É o tipo de livro que você nem percebe que já está acabando porque sempre tem alguma coisa acontecendo”, conta.

Amanda tem outros dois livros publicados, “O País do Vento” (2011) e “Um Novo Amanhecer” (2012). Escrever foi uma consequência do interesse pela leitura, hábito incentivado pelo pai desde a infância. Crescer em meio a histórias dos mais diversos autores trouxe o desejo natural de criar, e depois, de mostrar o resultado.

“A ideia de publicar foi mais pessoal do que profissional. Quero que as pessoas leiam e elogiem, critiquem ou deem a sua opinião, positiva ou negativa. Um escritor cresce com isso”, afirma. Apesar de ter começado cedo a relação com as publicações, Amanda segue outra trilha para formação: faz faculdade de Direito. Para ela, o universo das leis também é instigante, e não anula a vontade de escrever.

Via OCP