Por: Anderson Kreutzfeldt | 09/12/2013

Pills and Drugs with Arrows Inside Person

A Secretaria da Saúde encaminhou ao Ministério da Saúde na semana passada a documentação necessária para que, em alguns meses, seja liberada a verba para a construção da Unidade de Acolhimento Adulto para pessoas com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas. A proposta de verba de R$ 500 mil para a construção da unidade, com contrapartida do município, foi feita pelo Ministério da Saúde, via Sistema de Monitoramento de Obras (Sismob), há cerca de dois meses. A documentação comprova que há um terreno do município disponível para a construção da unidade, na Rua Oscar Carlos Otto Nagel, bairro Chico de Paulo (foto).

c8d75043-d721-9f89

Devido à demanda do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (Caps AD), que atualmente atende 220 dependentes químicos, a Secretaria da Saúde avaliou que há necessidade de haver uma unidade de acolhimento para os usuários que não têm para onde ir quando termina o expediente do Caps. O secretário da Saúde, Ademar Possamai, explica que a unidade de acolhimento não é um local de internação, mas tem por objetivo oferecer acolhimento temporário e cuidados a pessoas em situação de vulnerabilidade social e familiar e que demandem acompanhamento terapêutico e de proteção.

A porta de entrada para a unidade de acolhimento será o Caps, onde os profissionais avaliam a necessidade de acolhimento do paciente. “Normalmente aquela pessoa que não tem para onde ir quando termina o trabalho terapêutico do Caps e que está em situação de vulnerabilidade social”, detalha o secretário.

A unidade funcionará 24 horas, em caráter residencial transitório, será voltada somente para pessoas maiores de 18 anos e oferecerá de dez a 15 vagas. A estrutura física mínima prevista pelo Ministério da Saúde é a seguinte:

I – espaço físico adequado ao desenvolvimento de atividadesterapêuticas; e
II – quartos coletivos para até 4 (quatro) pessoas;
III – espaço para refeições;
IV – cozinha;
V – banheiros;
VI – área de serviço;
VII – sala de enfermagem;
VIII – sala de acolhimento e recepção;
IX – salas de atividades individuais e de grupo;
X – área de lazer externa para atividades esportivas e lúdicas, dentre outras; e
XI – sala administrativa, a ser utilizada para o arquivamento de documentos e para a realização de reuniões clínicas e administrativas.

O secretário da Saúde, Ademar Possamai, diz que a expectativa da secretaria é de que a unidade esteja construída até o final de 2014.

Informação colhida do site da Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul.