Por: Ricardo Daniel Treis | 6 anos atrás

Uma campanha visando detectar de forma precoce os portadores de osteoporose (doença silenciosa, sem sintomas, em que na maioria das vezes o primeiro sinal ou sintoma é a fratura óssea), sobretudo em mulheres que já chegaram à menopausa e em homens acima de 50 anos, que preferencialmente nunca tenham feito o exame de Densitometria Óssea, está sendo promovida pela indústria farmacêutica Eli Lilly em parceria com a Clínica Radiológica Densitom Jaraguá, localizada na Rua Frederico Bartel, 105, Centro- Jaraguá do Sul.

A empresa está disponibilizando de forma gratuita para moradores de Jaraguá do Sul e região, a realização de Ultrassom de Calcâneo (exame de triagem), na semana de 03/06/2013 até 07/06/2013 das 08:00 às 12:00 h e das 13:00 às 17:00.

 Como as vagas são limitadas a aproximadamente 350 exames, será necessário agendamento prévio por telefone (47)3370-1378.

A campanha ainda oferece a realização gratuita de 15 exames de Densitometria Óssea às pessoas que na triagem apresentem um maior risco da doença/ fratura.

O exame é simples, rápido. O ultrassom de calcâneo faz rastreamento da osteoporose, e independente do resultado as pessoas serão orientadas a levar o exame para um médico especialista avaliar. Para fazer o diagnóstico da doença são necessários exames adicionais, dentre eles a Densitometria Óssea.


Sobre a Osteoporose
A osteoporose é uma desordem esquelética cuja principal característica é o comprometimento da força e da resistência óssea tornando os ossos frágeis e sujeitos a fraturas. Acomete preferencialmente pessoas idosas e mulheres após a menopausa em que a perda óssea mais significativa ocorre nos primeiros cinco anos após a menopausa(1 em cada 3 mulheres serão acometidas por esta doença nesta fase e 1 em cada 8 homens).

A fratura poderá alem de causar dor, perda da liberdade e autonomia de movimentos,elevando os riscos de morte. Assim sendo, é fundamental que a osteoporose seja detectada e tratada precocemente.

A osteoporose é um grande problema de saúde pública, em que os custos do tratamento são altos e o impacto sócio econômico é grande.

O risco de sofrer uma fratura por osteoporose pelo resto da vida da mulher após os 50 anos é de 36%, portanto maior que o risco de ter câncer de mama, ovário ou endométrio. No homem, esse risco é de 13% o mesmo de ter câncer de próstata. O envelhecimento influencia, aumentando o risco em praticamente o dobro a cada década de vida.