Por: Ricardo Daniel Treis | 20/08/2013

A Clipper Round The World Race, a regata oceânica mais longa do mundo, recentemente nomeou a Marina da Glória no Rio de Janeiro como Porto-Sede de sua edição 2013-2014. O evento marca o final da primeira etapa da regata que sai de Londres em 1º de setembro e reforça uma ligação entre os anfitriões do Jogos Olímpicos de 2012 e 2016.

O perfil aventureiro e acessível da Regata – que pode ser competida por qualquer pessoa, independente do nível e experiência na vela – torna a experiência possível para os cidadãos brasileiros comuns, que podem escolher entre a regata inteira ou apenas uma etapa.

Este relacionamento vem despertando cada vez mais interesse nos brasileiros em conhecer e participar da Regata de Volta ao Mundo. O resultado pode ser comprovado pela última declaração dos organizadores do evento que notificaram um recorde no número de participantes brasileiros nesta edição. Ao todo são seis brasileiros inscritos até agora, sendo que três moram no Brasil atualmente.

Este é o caso de João Gustavo Togneri, que trabalha na WEG em Jaraguá do Sul. Ele está escrevendo sobre suas experiências e algumas curiosidades da preparação para a regata no blog: www.JgSailing.com.

“Na recepção do prédio da WEG Motores, onde trabalho, há um mapa mundi mostrando onde a WEG está presente, com suas fábricas, filiais e escritórios. Às vezes me pego parado em frente àquele mapa ao final do dia pensando. Fico ali olhando aquele 1m de distância entre Londres e o Rio de Janeiro. E já parece bem longe. E é muito longe! Principalmente após multiplicá-lo por 9 milhões de vezes, afinal são mais de 9.000 quilômetros! É equivalente a percorrer toda a costa brasileira considerando todas as saliências e reentrâncias do litoral, praias, falésias, dunas, mangues, recifes, baías restingas e outras formações menores. Não há como não sentir calafrios.”

“…Mas, o mais interessante são aquelas coisas que ninguém comenta nas listas de discussão ou nos sites e reportagens especializadas, como um dos tripulantes, que recentemente, fez a pergunta que todo mundo queria fazer e sempre teve dúvidas: quantas cuecas devemos levar para uma travessia oceânica de um mês? Tivemos uma produtiva discussão na lista, variando de nenhuma a diversas…” completa.

A Regata Clipper oferece treinamento especifico, dividido em três fases: O nível um apresenta os princípios básicos de um barco à vela de grande porte, além de segurança e habilidades de marinharia. O nível dois aprofunda o treinamento anterior, porém com um foco maior no Clipper 70, o novo barco da Clipper. A fase final de formação acontece no nível três, onde os skippers e tripulantes podem desenvolver suas próprias equipes de corrida, adaptar os seus barcos e formular suas próprias táticas de corrida. Mais de 4.000 pessoas de todo o mundo já participaram do Clipper Training, o programa de treinamento para a Regata Clipper de Volta ao Mundo – Clipper Round The World Race