Por: João Marcos | 2 anos atrás

Artigo por Daniel Filho, para o jornal O Correio do Povo:

Foto: Diego Jarschel

Foto: Diego Jarschel

Jaraguá do Sul caiu da quinta para a oitava posição em ranking estadual que mede o salário médio dos trabalhadores. Mantendo o mesmo índice do ano anterior, os assalariados do município terminaram o ano de 2013 recebendo em média 3,2 salários mínimos mensais. Os dados são do Cadastro Central de Empresas, divulgado na quarta-feira  (17) pelo IBGE.

Os municípios de Itapoá, Pomerode e Itajaí ultrapassaram Jaraguá do Sul no ranking. Florianópolis, Treviso, São Francisco do Sul e Vargem Bonita continuam ocupando as primeiras posições. A capital catarinense, líder na lista, tem média de 4,7 salários mínimos mensais pagos aos trabalhadores. A média do Estado fechou com 2,8 salários mínimos em 2013. No país, a média das remunerações no mesmo ano foi equivalente a 3,1 salários mínimos.

A chefe do Departamento de Economia da Univille, Jani Floriano, observa que o avanço nas remunerações em Itapoá e Itajaí se devem às atividades portuárias.

Itajaí já é o maior PIB do Estado e ultrapassou Joinville. Mesmo com esse avanço, a discussão deveria ser se a qualidade de vida é melhor.

Em Jaraguá do Sul, o número de pessoas ocupadas assalariadas cresceu 3,48%, enquanto que o total de salários e remunerações pagas aumentou 12,05% de 2012 para 2013. A quantidade de empresas atuantes subiu de 7290 para 7583 no mesmo período. Os salários e outras remunerações pagas em 2013 totalizaram R$2,062 bilhões.

Em 2012, o valor havia sido de R$1,840 bilhões.

“Jaraguá oferece oportunidade de qualificação e está num patamar de destaque no Estado. Mesmo caindo no ranking, mantém a remuneração estável. Quem tem uma boa qualificação também tem uma boa renda”, avalia Célio Bayer, vice-presidente da Fiesc no Vale do Itapocú.