Por: Ariston Sal Junior | 4 anos atrás
Nayara é uma das jaraguaenses que tem acesso gratuito a aulas de dança através de projetos sociais Foto: Eduardo Montecino

Nayara é uma das jaraguaenses que tem acesso gratuito a aulas de dança através de projetos sociais
Foto: Eduardo Montecino

Contemporânea, de rua, folclórica, clássica ou típica. Conforme os movimentos fluem, a dança assume inúmeros estilos. Pode ser coreografada, ou apenas seguir o compasso, sem maior comprometimento.  Uma linha tênue entre a manifestação artística e a simples forma de divertimento.  Da antiguidade ao mundo moderno, a atividade integra a rotina humana, e não é diferente em Jaraguá do Sul. Somando apenas os números das principais instituições de cultura, a cidade conta com mais de 600 pessoas dedicadas semanalmente a aprender a dança, que tem data comemorativa amanhã, dia  29.

Nayara da Silveira, de 11 anos, é uma delas. A pouca idade e aparência frágil escondem a aptidão nata para os movimentos do balé. Mesmo com talento natural, a menina freqüenta sete horas de aula por semana, no projeto social “Dentro da Dança”, e aproveita os momentos entre os estudos para aprimoramento. A sala de casa ou o próprio quarto já são uma extensão do ambiente de estudos.

Focada e cheia de responsabilidade, a jovem bailarina nunca imaginou que poderia seguir carreira na dança, mas hoje o pensamento é recorrente. “É preciso ter muita disciplina, mas o principal é força e amor pelo que faz, se não você não consegue. Dançar me deixa feliz, é emocionante, principalmente ver minha família na platéia”, confessa.

O sentimento é totalmente recíproco, segundo o pai de Nayara, Ademar Silveira. “Ela sempre foi uma criança muito madura, ela tem esse perfil. Com a dança muito mais, por isso ela tem tido esse desenvolvimento. Pena que não tem vagas para toda essa juventude dançar, manter corpo e mente ocupado”, avalia.

Atualmente, além de os cursos particulares, Jaraguá do Sul conta com dois projetos que dão acesso a crianças e jovens a aulas gratuitas. Com o Incentivando Talentos, a Fundação Cultural atende 128 pessoas que recebem bolsas para cursar atividades em seis entidades diferentes. Já o Dentro da Dança conta com patrocínio da Lei de Incentivo a Cultura, a atender 135 estudantes da rede pública, com idades entre seis e 18 anos.

Apesar de ter presenciado um crescimento do movimento artístico nos últimos cinco anos, a produtora e coreógrafa Lisa Jaworski afirma que ainda há muito para evoluir, principalmente na luta política pela democratização cultural. Por outro lado, grupos de dança e entidades abriram as portas para a troca de informações, o que trouxe crescimento para a modalidade. Uma integração que abre a mente dos profissionais e dos alunos em formação.

“As pessoas começaram a entender que com dedicação, a dança pode ser uma profissão como outra qualquer. A cultura representa 7% da economia mundial, entretanto o movimento artístico ainda precisa ter envolvimento nas lutas, hoje estamos carentes de incentivo estadual e somos um estado dançante”, afirma. Segundo Lisa, uma pesquisa da Associação de Dança Profissional de Santa Catarina (Aprodança), 70% dos municípios tem atividades de destaque dentro da modalidade.

Dança é comemorada com programação

O Dia Internacional da Dança é apenas na próxima terça-feira, dia 29, mas as atividades em comemoração a data começam hoje, em Jaraguá do Sul. Grupos levarão apresentações para diversos pontos da cidade, como forma de divulgar a cultura e dar visibilidade o trabalho desenvolvido no próprio município.

Terça-feira, 29
9h15 às 10h – Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC)
11h30 às 12h30 – Palco Cultural do Angeloni , na Rua Bernardo Grubba
20h20 às 20h40 – Centro Universitário Católica de Santa Catarina

Movimento Dança Jaraguá

Terça-feira, 29
9h30 no Lar das Flores
13h30 no Hospital São José
15h45 na APAE
19h30 Centro Cultural da Scar

 

Via OCP Online