Por: Ariston Sal Junior | 4 anos atrás
Foto: Rafael H. Verch/OCP

Foto: Rafael H. Verch/OCP

A comunidade de Jaraguá do Sul pode ter a primeira creche destinada às crianças que vivem no perímetro rural da cidade. O projeto é piloto nos cinco municípios que compõem a microrregião do Vale do Itapocu e atenderá, a princípio, 38 crianças, de quatro meses a seis anos, com sistema de educação infantil.

O propositor da indicação, vereador Eugênio Juraszek (PP), o secretário de Agricultura, Aricenir Canuto, o diretor financeiro da Secretaria de Educação, Rogério Jung, acompanhado pela gerente de Educação Infantil, Raquel Fiamoncini, visitaram na última semana o possível local que receberá as instalações, na JGS 050, popularmente conhecida como Rua XV, nº 1050, na localidade de Garibaldi.

A área escolhida está a poucos metros do antigo abatedouro municipal, que será transformado em centro de beneficiamento de frutas, legumes e verduras através de parceria e comodato com a Copajas (Cooperativa Agropecuária de Jaraguá do Sul); – pertence à Prefeitura e é administrada pela Agricultura. Ali funcionou a antiga usina de leite do município.
Para ser transformado em creche, o local precisará de readequações. São duas estruturas, uma residência e um galpão, ambos com área aproximada de 90m² cada. “Não tem erro.

No que depender da nossa vontade está feito”, assegura Canuto sobre a autorização para que o espaço seja utilizado pela Secretaria de Educação.
Contudo, Jung pontua que a abertura da creche precisa percorrer todo um processo antes da efetivação, incluindo uma análise de demanda. Isso porque as crianças cadastradas pelo vereador não constam na lista de espera do município. “Nosso cadastramento mais próximo é o realizado no centro de educação infantil da Barra do Rio Cerro e por isso muitas crianças aqui não estão na nossa lista”, explica Jung.

A previsão é que as crianças comecem a ser atendidas a partir de 2015. “Recurso para as adequação não é problema. Mas antes o Conselho Municipal de Educação precisa vistoriar o local e definir as reformas necessárias. Depois, o prefeito precisa autorizar as readequações para podermos iniciar a licitação e a contratação da obra”, conclui. Apenas após a vistoria é que será possível elaborar o projeto de engenharia e mensurar os custos relacionados.

Para vereador, estrutura trará segurança e comodidade

O vereador Eugênio Juraszek afirma que a creche rural atenderá uma deficiência histórica da região agrícola do município. Segundo ele, hoje as mães percorrem de 20 a 30 quilômetros desde a região do Alto da Serra para levar as crianças até o Centro de Educação Infantil mais próximo, o Wolfgang Weege, na Barra do Rio Cerro. “Algumas mães acordam às duas da manhã para levar as crianças antes do trabalho”, exemplifica.

O diferencial desta unidade é que a estrutura atenderá filhos de casais que se dedicam exclusivamente à agricultura familiar. “São famílias que não possuem comprovação de renda e não conseguem vagas nas creches. Pela distância, muitas preferem levar os filhos para a roça, o que é perigoso. Ano passado tivemos um acidente em Corupá em que uma criança caiu de um trator e morreu. A creche vai evitar isso”, defende.

Via OCP