Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás

EDUCAÇÃO DE SUCESSO
O levantamento preliminar do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base no último Censo de 2010, mostrou uma redução do número de pessoas analfabetas acima dos 15 anos nas cinco cidades do Vale do Itapocu, em comparação com a contagem de 2000. No ranking nacional, Jaraguá do Sul vai muito bem.

A cidade ocupa a 14ª posição entre os 20 municípios com boa colocação. O levantamento apresenta apenas uma contagem quantitativa e não qualitativa do nível de conhecimento. Saber ler e escrever ainda é o principal quesito para a diferenciação. O mesmo conceito foi usado nos censos de 2000 e 2010.

Santa Catarina aparece como a segunda unidade da federação mais alfabetizada do País. Com 3,86% da população considerada analfabeta, o Estado fica atrás apenas do Distrito Federal, com 3,25%.

Especialistas dizem que o bom desempenho é resultado das novas técnicas de alfabetização que dão mais espaço para a interpretação. Ou seja, não adianta somente saber ler e escrever. É preciso entender o que se aprende e saber usar o conhecimento no dia a dia.

A diretora de ensino fundamental da Secretaria de Educação de Jaraguá do Sul, Sirley Maria Schappo, observa que a melhora nos índices nesses dez anos deve-se à mudança de metodologia. Segundo ela, nas turmas da séries iniciais, onde são aplicadas as doutrinas básicas da alfabetização, deixou-se de lado a repetição. Sirley afirma que hoje não é admissível ensinar a gramática com decoreba, por exemplo. A alfabetização ocorre com leitura, escrita, interpretação de textos e oralidade. “Deixamos a alfabetização funcional. A linguagem verbal também ganhou mais importância porque é a que mais usamos. Não adianta decorar a conjugação verbal e não saber usá-la na hora de falar”, diz.

Via AN