Por: Gabrielle Figueiredo | 3 anos atrás

O primeiro compromisso do Jaraguá Futsal (Pericó/CSM/Real Vidros/Kaiapo’s) pela segunda fase da Liga Nacional 2015 está marcado para esta segunda-feira, dia 13, na Arena Jaraguá, e o adversário será o São Paulo. O duelo desta segunda inicia às 20h15, e fará parte da disputa pelo topo da tabela do grupo A.

jaragua futsal

Foto: Divulgação Jaraguá Futsal

O técnico Sérgio Lacerda espera iniciar bem com o grupo mais esta etapa do campeonato. Em vista do último jogo do Catarinense, uma vitória com o placar de 4 a 2, a equipe tem apresentado resultados bastante satisfatórios nos treinos, contando com praticamente o elenco completo. “Estamos direcionando os treinos para as características do adversário, mas não podemos fugir da nossa forma de jogar, com um ritmo forte do começo ao fim do jogo”, diz Lacerda. A intenção é conseguir somar os três primeiros pontos e iniciar bem a segunda fase da LNF.

Na primeira fase da Liga, os jaraguaenses se classificaram em 4º lugar e agora faz parte do Grupo A do campeonato, disputando vaga para a próxima fase com os times de Orlândia, Alaf, Guarapuava, Joinville, São Paulo e São José.

A LNF e o Campeonato Catarinense são as duas competições mais importantes que cercam o Jaraguá neste momento. Pelo Estadual o time joga pela divisão especial, e a tabela da Federação Catarinense de Futebol de Salão define o próximo desafio para o dia 22 de julho, contra a equipe de Joinville, no Centro Eventos Cau Hansen, às 20h15.

Nova contratação

E para esta nova etapa do campeonato, o time jaraguaense contará com um novo nome para fortalecer ainda mais o elenco. Vindo do AcaFutsal, de Cachoeira do Sul (RS), Giovane Oliveira de Mello, de 26 anos, será o novo pivô da equipe e já está liberado para começar a atuar.

jgua futsal

Foto: Divulgação

Natural de Uruguaiana, cidade do Rio Grande do Sul, Giovane Oliveira de Mello, tem 26 anos e atua como pivô de referência. Ele começou a vida de atleta no futsal, mas teve parte de sua história como jogador no futebol de campo. Ele passou por equipes como Caxias, Atlético Mineiro, Bragantino e, até março de 2014, estava no Karbala Sports Club no Iraque. Retornando ao Brasil, no fim de 2014, ele migrou para futsal, quando passou a atuar pela AES, de Sobradinho (RS). Antes de chegar em Jaraguá do Sul, ele atuava pela AcaFutsal, de Cachoeira do Sul (RS).

Crescido na serra gaúcha, onde na época a UCS de Caxias do Sul era uma das maiores do Brasil – e como hoje é também a ACBF, de Carlos Barbosa -, ele fez a sua base no futsal. “Meu pai tinha escolinha de futsal e logo também tive participação na base da UCS e no Vasco da Gama. Mas migrei pra o campo por conta de buscar um reconhecimento financeiro mais rápido, e só o campo me daria isso naquele momento”, conta.

Mas depois retornar ao Brasil por causa dos problemas de ataques do Estado Islâmico, ele acabou impossibilitado de continuar na modalidade, e surgiu o convite para disputar a série prata gaúcha no futsal. “Fui bem, marcando 19 gols e sendo capitão da equipe. E isso fez com que vários times demonstrassem interesse”, diz. Ele acredita que o que chamou a atenção, também, foi a sua posição em quadra, como pivô de referência, já que não se vê muito pivôs com a sua estatura e biótipo, 1,90 metro e 88 quilos. “Então resolvi encarar esse novo desafio e buscar grandes coisas no esporte. Aí logo veio o convite da ADJ, uma grande equipe, que me oportuniza a realização do sonho de disputar a Liga Nacional.

Para ele a felicidade é grande nesta nova etapa como profissional, pois se sente cada vez mais motivado com a missão de fazer gols e ajudar a fortalecer a equipe. Ele levará o escudo do Jaraguá Futsal na camisa número 8 e trará para dentro das quadras uma de suas características mais marcantes: a força física. “Gosto do chamado ‘choque’. Procuro isso a todo momento, e por ser formado na escola gaúcha, acredito que a garra e a vibração também conquistam um jogo”, analisa.

Giovane Mello já está liberado para atuar com a equipe, e foi contratado na última semana de junho, ao fim da primeira fase da LNF. “Tivemos semanas de treinamento forte e intenso. Se o Lacerda precisar, irei dar o meu melhor”, finaliza Mello.