Por: Max Pires | 6 anos atrás

 

Jaraguá do Sul mais uma vez será referência em estudos para a prevenção de desastres naturais, graças a um convênio firmado entre o Centro Universitário – Católica de Santa Catarina e a Secretaria de Defesa Civil do município. Na manhã de hoje (19) a reitora Pedra Santana Alves e a prefeita Cecília Konell consolidaram a parceria durante a solenidade de assinatura do convênio, que aconteceu na sala de reuniões da Prefeitura.

A parceria prevê por parte da administração municipal a aquisição de 29 sensores para monitoramento das chuvas e seus efeitos, que possibilitarão medições precisas e emissões de alertas em casos de alagamentos, deslizamentos de encostas e outras ações. Os equipamentos serão importados da Universidade de Zaragoza, na Espanha. Cerca de R$ 50 mil serão investidos no projeto.

Professores e acadêmicos da Católica ficarão responsáveis pela configuração, instalação e monitoramento dos aparelhos. De acordo com o coordenador do curso de Sistemas de Informação, professor Maurício Henning, um dos responsáveis pelo projeto, trata-se de iniciativa pioneira no Estado, com previsão de desenvolvimento de equipamentos semelhantes dentro de sala de aula, envolvendo alunos e docentes.

A expectativa é de que o projeto seja colocado em prática a médio prazo. “Já estamos desenvolvendo um projeto de monitoramento de rios como projeto de bolsa de estudos com quatro acadêmicos da instituição. Dessa forma estimulamos o incentivo de tecnologia local”, afirma o professor.

Ainda segundo o docente, a administração municipal já demonstrou interesse em desenvolver também em parceria com a instituição de ensino projeto de sensores destinados a utilização agrícola.

Como funcionará

Serão 11 sensores que irão medir o volume das chuvas, mais 11 réguas para níveis dos rios, e sensores para medir a umidade do solo, que serão utilizados em morros e encostas de Jaraguá. Os aparelhos são pequenos e possuem tecnologia de rede sem fio, sendo um sistema inteligente. Todas as informações coletadas serão enviadas para um banco de dados em computadores que ficarão na Católica de Santa Catarina e na Defesa Civil da cidade.

Para o geólogo Normando Zitta, da Defesa Civil de Jaraguá, o principal objetivo é saber exatamente quando uma área deve ser evacuada e evitar possíveis tragédias, com maiores chances de redução dos danos materiais. “Já detectamos quais os pontos em que deverão receber os sensores de acordo com a geografia e os problemas apresentados. Juntos, esses locais formarão uma malha de informações”, finaliza.

A Defesa Civil de Jaraguá espera que os aparelhos estejam instalados e funcionando até dezembro deste ano, período de previsão de mais intensidade de chuvas na região.