Por: Ricardo Daniel Treis | 05/11/2015

Pelo segundo mês consecutivo, o Programa Recicla Jaraguá registrou aumento dos índices de reciclagem no município batendo recorde mais uma vez na coleta de materiais reaproveitáveis. Em outubro, foram recolhidos 549 toneladas, sendo que em setembro foram 468 toneladas chegando a um índice de 30% de reciclagem e 16% de aproveitamento do material recolhido. De acordo com levantamento do governo federal, hoje na maioria das cidades brasileiras recicla apenas 3% do total de lixo recolhido. Este dado aponta que Jaraguá do Sul está entre os poucos municípios do País a ter 30% de reciclagem e portanto, está de acordo com o Plano Nacional de Resíduos Sólidos.

O crescimento é comemorado pela Fundação Jaraguaense do Meio Ambiente (Fujama) que coordena o Programa Recicla Jaraguá que vem transformando os hábitos dos jaraguaenses com relação a reciclagem. A separação do lixo também é incentivada nas escolas, o que favorece a propagação do programa.

[youtube_sc url=”https://youtu.be/6vDcEHsJYXg” width=”650″ autohide=”1″]

O prefeito Dieter Janssen, que abraça a causa da reciclagem, ressalta a importância da reciclagem para o meio ambiente e a economia.

“Por meio da conscientização da população com relação a reciclagem, tornamos a cidade mais limpa, preservamos o meio ambiente, geramos empregos e economizamos recursos para a destinação do lixo orgânico, em que gastamos por ano cerca de R$ 10 mil. Reciclando todos ganham”, completa.

Dieter também destaca o índice de recolhimento do resíduo domiciliar (que inclui o lixo orgânico, rejeito e reciclado não separado) que permaneceu o mesmo desde 2013, quando foram coletados 31 mil toneladas/ano tendo projeção para recolher até dezembro deste ano a mesma quantidade. “Considerando que a população cresce 3% ano ano, manter a mesma quantidade de recolhimento do resíduo domiciliar, demonstra que a reciclagem está crescendo e o descarte de lixo comum está caindo”, comemora o prefeito.

recicla-jaragua-3-650x433

Antes da implantação do Programa Recicla Jaraguá, a quantidade recuperada representava apenas 4% do volume total, sendo que em outubro chegou a 16,4%. Segundo o presidente da Fujama Leocádio Neves e Silva, o plano para a cidade é reduzir o volume encaminhado ao aterro sanitário de Mafra (para onde é encaminhado o lixo orgânico de Jaraguá de Sul) em 50% até o fim deste ano. “A metas é ousada, mas buscamos atender o que a legislação já exige dos municípios. Os ganhos ambientais, sociais e econômicos terão grande repercussão em um futuro próximo”, salienta.

A redução do volume encaminhado ao aterro sanitário proporciona economia. O custo efetivo para a destinação dos resíduos urbanos até Mafra é de R$ 303,00 por tonelada, incluindo a coleta, transbordo, transporte rodoviário e a destinação final, o que representa um gasto anual de mais de R$ 10 milhões. O Programa Recicla Jaraguá incentiva a população a usar o saco verde, que é distribuído de graça nos bairros, e que serve para o acondicionamento deste do material reciclável. Cada saco tem custo de cerca de R$ 0,55, investimento que se paga se cada unidade tiver 2,3 quilos de material reciclável. Os municípios da microrregião têm um gasto superior a R$ 20 milhões anuais com resíduos sólidos. Cada habitante produz cerca de 820 gramas de lixo todos os dias, o que representa a geração de mais de 120 toneladas/dia na região.

Reciclagem se aprende na escola
Outro motivo de sucesso do Programa Recicla Jaraguá é o envolvimento das escolas e estudantes. A Fujama criou o mascote Sacolix e distribuiu cartilhas nas escolas com uma divertida e didática história sobre a reciclagem. A história e o nome do mascote foram escolhidas depois de realizado concurso entre os estudantes. Segundo o presidente da Fujama Leocádio Neves e Silva, as crianças e adolescentes são importantes multiplicadores das ações da Fundação responsáveis pela propagação do programa dentro em suas casas.

Fonte: prefeito Dieter Janssen e presidente da Fujama, Leocádio Neves e Silva.