Por: João Marcos | 2 anos atrás

Como falei tempos atrás para vocês, a explicação da ausência das minhas publicações aqui no Por Acaso foi o fato de eu ter juntado toda minha vida em duas malas (novamente) e embarcado pra Dublin, onde fico por tempo (até então) indeterminado.

Mas antes de sair, prometi pra mim mesmo que não os deixaria completamente em paz e vez ou outra viria por aqui pra soltar umas groselhas. Ir compartilhando, nem que fosse um pouco, da experiência que estou tendo.

A listinha desse post veio naturalmente, afinal já são 2 anos de intercâmbio – o que deu uma calejada nas costas do nego véio aqui –, portanto não deu lá muito trabalho. Se você está pensando em ter uma experiência parecida, recomendo que dê uma lida nela antes, que esse é o básico do essencial, hahaha.

Coisa #1 – Você foi enganado durante toda a sua vida
Sabe aquela mágica de sujar a roupa num dia, e ela aparecer limpa e dobrada no seu guarda roupas no outro? Ou então aquele truque misterioso que trazia a comida das prateleiras do Angeloni direto pra sua mesa, e ainda muito mais gostosa? Então, não queria ser eu a pessoa a dar uma notícia tão trágica para vocês, mas sou obrigado: essas coisas não funcionam mais aqui!

Feeling like this:

Acho que deu pra entender, né não?

Coisa #2 – O Brasil é muito maior do que você imagina
Caras, vocês fazem ideia do quão grande é nosso país? Tem certeza? Tenho uma imagem para compartilhar que fará com que vocês tenham uma noção:

brazil

Cabem, no mínimo, 27 países dentro do nosso!

Ou seja, além de aprender as mais diversas culturas quando vamos pra fora do nosso país, nós também aprendemos muito com nossos conterrâneos. De nada ajuda chegar com aquele discurso de sempre, enchendo o peito para falar mal do que tem aí.

Não é porque sua vida não estava boa que no Brasil inteiro esteja assim. Até porque, se estivesse TÃO ruim assim, você não estaria “sofrendo” na Europa. Né, não? ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Coisa #3 – Brasileiro é como irmão criado longe da mãe
No meu atual trabalho, uma das frases que mais ouvimos é: “Quero morar numa casa com gringos e estudar em uma sala sem brasileiros”.

Veja bem, não estou de forma alguma criticando isso. Afinal é totalmente louvável e comum que ao vir para cá você queira ter essa experiência. O que me incomoda é o discurso de ódio e preconceito da galera com o pessoal do mesmo país.

Galera das boas

Galera das boas

Isso não se faz necessário e posso te garantir que (por favor, não generalizem e entendam que há exceções), quem vai te ajudar e estender a mão aqui fora quando você precisar são seus conterrâneos.

Coisa #4 – O mundo é muito maior do que a rua da sua casa
Precisei sair dela (e da minha zona de conforto) pra entender isso. Não somos poste pra ficar parado no mesmo lugar pelo resto de nossas vidas. Se há um conselho que dou para meus amigos ou alunos que me procuram para conversar sobre a experiência de intercâmbio ou viagens é: VAI!

Foto aleatória aí só pra ilustrar e tudo mais

Foto aleatória aí só pra ilustrar e tudo mais

Não pensa muito, só arruma a mala. Depois a gente conversa.

Coisa #5 – Cuide muito bem da sua cabeça
Quando falamos de intercâmbio, associamos a experiência com algo próximo como à realização de um sonho, mas levando em consideração apenas os aspectos e pontos vantajosos dessa nova fase de vida. No entanto, algo digno de nota é que essa experiência tem dificuldades que podem acabar afetando a saúde emocional dos intercambistas.

Certa vez conversei com um psicólogo justamente sobre esse tema, inclusive escrevi a respeito dele nesse link. Rola de ter saudade de casa, dos amigos, da família… Rola ter perrengue, rola faltar grana… Mas como costumo dizer, é um crescimento contínuo. São anos em meses.

Não tenha dúvidas de que a pessoa “você” que sairá do Brasil voltará completamente diferente da que voltará um dia – agora se melhor ou pior, vai depender de você, meu compadre.

Fecho a publicação com um vídeo para reflexão dos amigos:

As pessoas não escolhem os sonhos. Os sonhos escolhem as pessoas.

Vai e faz, filho.

—–

Quer conversar mais sobre o assunto?
Pra quem tá afim de trocar uma ideia sobre intercâmbio ou acompanhar minha rotina por aqui, me adiciona lá no Facebook ou então, só colar no Instagram ou no Twitter através do @_jooaom. Bejabraço.