Por: João Marcos | 16/01/2013

Em dezembro, o Instagram alterou seu contrato de uso, dando a si mesmo o direito de usar e vender as fotos dos usuários. Não era bem isso, e os donos do serviço logo se retrataram. Mas o assunto causou enorme alvoroço – ninguém queria ver as próprias fotos usadas, sem aviso nem permissão, em propagandas na internet. E, agora, o Instagram está pagando o preço da polêmica: perdeu mais da metade dos usuários. O número de pessoas que utilizam o serviço diariamente caiu de 16,3 milhões em dezembro para 7,6 milhões em janeiro.

Mas o número de usuários casuais, que entram no aplicativo ao menos uma vez por mês, subiu de 41 para 46 milhões nesse mesmo período. Isso pode ser um influxo de gente nova (e menos viciada no app), ou uma diminuição na assiduidade dos usuários que já estavam nele, ou a falta de pratos bonitos nas férias, não querendo colocar a foto daquela melancia gelada no isopor ou aquele pratão de pirão nas redes sociais. Seja como for, o Instagram ainda tem fôlego. Mas seus donos devem estar realmente arrependidos do que fizeram.