Por: Max Pires | 01/07/2011

Para melhorar desempenho, aplicar conhecimentos ou mesmo em busca de novas oportunidades profissionais, alunos de cursos superiores encontram nos cursos técnicos do SENAI uma forma de desenvolver novas competências.

 

senaiAs competência que podem ser desenvolvidas ou aprimoradas nos cursos técnicos têm atraído para o SENAI alunos que concluíram ou ainda estão frequentando cursos superiores e de pós-graduação. Seja para ampliar as oportunidades profissionais ou ampliar conhecimentos, eles concluíram que a formação técnica pode significar um diferencial importante para profissionais comprometidos com resultados. 

Na empresa em que trabalha, em Chapecó, Itamar Overbeck observou a dificuldade que o departamento de recursos humanos encontrou para encontrar um técnico em segurança do trabalho com a qualificação desejada. Foram mais de três meses com a vaga em aberto. Foi a motivação que faltava para Itamar decidir fazer um curso técnico no SENAI. 

Com diploma do curso superior de Administração, Itamar atua na área de custos, mas gostaria de atuar em uma função que o realizasse. “Sempre tive a vontade de trabalhar com um lado mais social ou que tenha mais vínculo com pessoas. Fiz um curso de bombeiro comunitário e percebi que me identifico com a área de segurança”, explica o profissional de 30 anos. Percebendo a possibilidade de conciliar carreira e satisfação pessoal, ele se matriculou no curso técnico em segurança do trabalho do SENAI em Chapecó. E mesmo estando no primeiro semestre da nova formação, ele diz que já surgiram oportunidades de trabalho na área de segurança na empresa onde atua. 

Jucelino Dal Bello, de Xanxerê, também já está no mercado de trabalho. Além do curso de administração, possui MBA em Gestão de Negócios. Mas nem todo esse conhecimento é suficiente para a rotina da empresa em que atua, a qual presta serviços para uma hidrelétrica da região. “Minha função como supervisor de serviços de apoio tem me exigido conhecimento específico, pois lido a todo momento com técnicos e precisamos falar a mesma língua”, explica Jucelino. Interessado em melhorar seu desempenho, o profissional resolveu fazer o curso técnico de Eletromecânica do SENAI, do qual está na segunda fase. “No mercado, um diploma pode não valer nada, pois o importante é o desempenho do dia a dia. E acredito que o conhecimento prático vai fazer essa diferença”, explica. 

Kathiussia Severgnini ainda está na faculdade (7ª fase do curso de Engenharia Bioenergética), mas este ano também resolveu iniciar o curso técnico de Eletromecânica na unidade do SENAI em Xanxerê. ” Enquanto na faculdade tenho muitas disciplinas teóricas, no curso técnico a prática desenvolve minhas habilidades aliadas aos conhecimentos obtidos”, explica a estudante de 20 anos. Seu objetivo é relacionar as duas áreas, já que a mecânica é relevante nos dois cursos. “Acredito que unindo teoria com a prática, as chances de entrar no mercado de trabalho com um bom emprego são maiores, além de ter um intelecto abrangente”, completa.

Sobre o SENAI Santa Catarina

Entidade integrante do Sistema FIESC, o SENAI Santa Catarina apoia a indústria com a formação de profissionais de nível técnico, superior (com cursos de tecnologia) e pós-graduação. Também oferece cursos de formação de aprendizes e de formação profissional inicial e continuada (qualificação e aperfeiçoamento), além de oferecer cursos sob demanda para empresas e instituições, inclusive na modalidade a distância. No ano de 2010, o SENAI/SC registrou mais de 90 mil matrículas.

Sua atuação também contribui para o aumento da competitividade da indústria catarinense por meio de consultorias a empresas e serviços laboratoriais (avaliação da qualidade e da conformidade, caracterização de matéria prima, ensaios de proficiência e materiais de referência certificada). Ao todo, foram realizados em 2010 cerca de 173 mil ensaios laboratoriais, 108 mil horas de consultorias ambientais, tecnológicas e em gestão, além de contribuir para que 532 indústrias a captassem recursos de inovação.